segunda-feira, dezembro 03, 2012

OS PENETRAS



Em terra de sapo, de cócoras com ele. Deve ter sido mais ou menos o que fez com que Andrucha Waddington, que começou a carreira tentando fazer um cinema mais ambicioso, como se pode ver em títulos como CASA DE AREIA (2005) e LOPE (2010), aceitasse fazer mais uma dessas comédias populares da Globo Filmes sem muitas pretensões artísticas. Claro que não dá para colocar tudo num saco só, mas num ano em que tivemos coisas constrangedoras como TOTALMENTE INOCENTES e ATÉ QUE A SORTE NOS SEPARE e que ainda vem aí com DE PERNAS PRO AR 2, comédias desse tipo já podem ser vistas com ar de suspeita. Ou de boas referências para boa parte do público, se levarmos em consideração o sucesso comercial.

No caso de OS PENETRAS (2012), Waddington realizou um trabalho pelo menos mais decente. É um filme que até lembra as antigas comédias hollywoodianas dos anos 1930, bem como as chanchadas da Atlântida. Há a tradicional figura do malandro carioca. Figura tão explícita que até tocam a canção "Malandro é malandro e mané é mané", do Bezerra da Silva. O malandro em questão é Marco Polo, vivido por Marcelo Adnet, homem que costuma enganar as pessoas como meio de vida. Para isso, ele conta com a ajuda do amigo Nelson (Stepan Nercessian).

Mas o filme começa com a presença de Eduardo Sterblitch, que interpreta Beto, um sujeito com a autoestima lá embaixo por causa de uma mulher chamada Laura, que o rejeitou. Em ato de desespero, ele tenta se suicidar, justo quando Marco Polo está tentando lucrar em cima de um grupo de turistas. Marco Polo vê que é possível lucrar também em cima do pobre coitado, dizendo que é capaz de trazer de volta a Laura que ele tanto quer. Em um hotel de luxo, ele encontra a personagem de Mariana Ximenes, que diz ser a Laura e por quem ele logo se apaixona.

Marcelo Adnet ficou conhecido na MTV e Eduardo Sterblitch ficou conhecido através do programa Pânico na TV!. Assim, juntam-se dois atores que vieram do humor, mas de dois canais diferentes, MTV e Rede TV!. Não dá para negar que os dois têm talento, mas não chegam a ser tão engraçados assim em OS PENETRAS.

De qualquer maneira, um dos méritos do filme é não tentar forçar a barra nos momentos engraçados. Na maioria das vezes, é possível se divertir sem necessariamente rir. Para isso, o filme conta com um bom elenco. Mariana Ximenes, como o suposto pivô de um triângulo amoroso envolvendo os dois rapazes, está muito bem como a garota esperta que reconhece um malandro (como ela) assim que o vê.

E há os coadjuvantes de luxo, como Susana Vieira, Andrea Beltrão, Luiz Gustavo e Luís Carlos Miele, que contribuem de uma forma ou de outra para o relativo sucesso do filme. Assim, OS PENETRAS escapa de ser uma diversão chula para ser uma diversão razoável e despretensiosa. Andrucha Waddington, mesmo não sendo o melhor dos nossos cineastas, mostra que a direção faz a diferença.

Nenhum comentário: