terça-feira, dezembro 18, 2012

HOMELAND – A SEGUNDA TEMPORADA COMPLETA (Homeland – The Complete Second Season)



A responsabilidade era grande para a melhor série do ano passado. E que ainda por cima fechou com um gancho matador. As chances de eles não conseguirem fazer uma segunda temporada à altura eram grandes. Mas a segunda de HOMELAND (2012), com os seus altos e baixos – mais altos do que baixos – conseguiu manter o bom nível, embora em alguns momentos tenha lembrado 24 HORAS. Vai ver porque o compositor é o mesmo (Sean Callery). Mas não só por isso.

Mas o mais importante da série continua lá e ganhando contornos cada vez mais mutáveis, que são os seus personagens. Principalmente Nicholas Brody, na pele do sensacional Damian Lewis. O ator superou a sua parceira em desempenho, já que seu personagem é mais complexo. Não se sabe direito se ele é um terrorista perigoso ou um sujeito que está precisando de ajuda e que merece o amor de Carrie Mathison (Claire Danes), a agente da CIA que é apaixonada por ele. Mesmo depois do que ele lhe fez no final da primeira temporada.

Não deixa de ser bonito esse amor incondicional de Carrie. E também pareceu ousada a sua intervenção na captura de Brody logo num dos primeiros episódios, por mais precipitada que tenha parecido a princípio. A impressão que se tinha era a de que a série iria cair de qualidade a partir daquele momento. Mas na verdade foi coragem dos roteiristas, de seguirem em frente com suas reviravoltas surpreendentes. E a melhor delas ficou para o final. Que, convenhamos, fica atrás de vários episódios muito mais impressionantes da primeira temporada, mas que ainda assim está entre as melhores coisas produzidas na televisão ultimamente.

Até porque 2012 não foi um ano de muitas séries novas de qualidade. Então a expectativa estava mesmo em HOMELAND, THE KILLING e GAME OF THRONES. Se as duas últimas tiveram curvas descendentes em suas segundas temporadas, podemos dizer o mesmo de HOMELAND, mas não com tanta ênfase.

Toda a trajetória de Carrie Mathison do início da temporada, ao receber o arquivo contendo a declaração de homem-bomba de Brody até chegar ao final surpreendente foi tudo muito bem pensado pelos roteiristas e produtores da série. E se por um lado surgiram piadas do tipo "Onde está o presidente, que nunca aparece?" (só aparecia o tal do Vice-Presidente), por outro pudemos testemunhar um funeral de um terrorista, que supostamente deve ter sido semelhante ao realizado com Osama Bin-Laden.

Resta saber como se encaminhará a terceira temporada de HOMELAND? Será que a série se transformará em uma espécie de O FUGITIVO? A família de Brody continuará desempenhando papel central na trama? Carrie poderá contar com Saul para fazer o que planeja? Aparentemente, nem os criadores da série sabem ainda, pois modificaram praticamente tudo o que estava presente na série israelense que lhe deu origem.

HOMELAND recebeu indicações importantes para o Globo de Ouro 2013, todas na categoria drama: melhor série, melhor ator em série (Damian Lewis), melhor atriz em série (Claire Danes) e melhor ator coadjuvante em minisséries (Mandy Patinkin). Pois é. O Globo de Ouro está uma bagunça, misturando séries com minisséries. Acho que nem eles entendem o que estão fazendo. E pensar que no ano passado o único equívoco foi com DOWNTON ABBEY.

Nenhum comentário: