quinta-feira, março 21, 2013

QUATRO CURTAS BRASILEIROS



Aproveitando que vi alguns curtas, seguem comentários bem rápidos sobre eles, antes que a minha memória ruim trate de varrê-los para o arquivo morto, como geralmente costuma acontecer. Um dos filmes faz parte da minha peregrinação pela obra de Nelson Pereira dos Santos, mas que fiz por bem deixar junto com os outros, por ser curto e por ter poucas informações a seu respeito. Os demais são filmes de dois amigos, Gabriel Carneiro e Eduardo Aguilar, e outro, uma indicação da atriz Maeve Jinkings (O SOM AO REDOR).

UM LADRÃO 

Nelson Pereira dos Santos e Graciliano Ramos juntos já têm fama de darem liga, por causa das obras-primas VIDAS SECAS (1963) e MEMÓRIAS DO CÁRCERE (1984). Infelizmente, com o curta-metragem UM LADRÃO (1981) não foi bem assim. De qualquer maneira, seria um feito e tanto de Nelson o de ter transposto para a tela um conto tão cheio de pensamentos do protagonista e tão poucos diálogos. O diretor faz o que pode e mostra o ladrão vivido pelo jovem Ney Santanna, que procura seguir as dicas de seu mestre, vivido brilhantemente por Wilson Grey. Mas as lembranças de uma paixão de infância e outras tentações bobas prejudicam sua tarefa. Curiosamente, o filme faz várias menções a Jango e à ditadura e acrescenta elementos que não constam no conto de Graciliano. Elementos muito bem-vindos, aliás.

MORTE E MORTE DE JOHNNY ZOMBIE 

O divertido curta de Gabriel Carneiro lembra, pelo menos na origem da infecção que faz com que Johnny se transforme num zumbi, o clássico A VOLTA DOS MORTOS VIVOS, de Dan O'Bannon. Em MORTE E MORTE DE JOHNNY ZOMBIE (2011, foto), Joel Caetano (de A NOITE DOS CHUPACABRAS) é um trabalhador de uma empresa que trabalha com material radioativo e que um dia volta pra casa diferente. E é noite de reunião festiva com os amigos. Destaque para as imagens do ponto de vista de Johnny, em câmera subjetiva, e também para a participação bem divertida de Felipe M. Guerra, do blog Filmes para Doidos.

MENS SANA IN CORPORE SANO

A produção de filmes em Pernambuco anda muito bem. Mais um exemplo disso é este curta-metragem de horror de Juliano Dornelles. MENS SANA IN CORPORE SANO (2011) é do mesmo selo dos filmes de Kleber Mendonça Filho, o que pode ser indicativo de qualidade. É um filme sobre um sujeito halterofilista xiita que só pensa em malhar o corpo e evitar alimentos nocivos à saúde. O filme, além de oferecer elementos fantásticos bem interessantes, é uma crítica a esse exagero do culto ao corpo. Destaque para a cena do encontro do protagonista com uma prostituta.

OS AMANTES 

Eduardo Aguilar já foi motivo de uma grande entrevista que o Diário de um Cinéfilo promoveu. A maior entrevista que eu já fiz e uma das mais prazerosas. Por coincidência, foi mais ou menos nesse período que Aguilar parou de dirigir filmes. Ou vídeos, já que ele sempre usou a bitola vídeo. Sempre curti o trabalho dele e vivia pedindo por um novo filme. Eis que ele nos apresenta mais um de seus curtas. Ainda assim, considero o seu trabalho menos inspirado, talvez porque foi feito meio que "por encomenda" (é o trabalho de conclusão de um curso), meio que coletivamente. Por isso, OS AMANTES (2013) talvez não represente tão bem o seu melhor. O destaque do curta é o uso das cores e dos fundos, ora claros, ora escuros.

Nenhum comentário: