segunda-feira, fevereiro 28, 2005

OSCAR 2005



A notícia de que a Rede Globo iria transmitir o Oscar 2005 pode até ter deixado alegre quem não tem tv por assinatura, mas como já era de se esperar, a emissora desrespeitou o espectador e não exibiu o início da premiação por causa do Big Brother. Assim, foi mais de meia hora perdida pra quem não podia ver a cerimônia pela TNT. Eu já sou gato escaldado da emissora. Sofri anos atrás com o cancelamento de TWIN PEAKS e com as coberturas porcas do Rock n' Rio. Assisti à festa do Oscar mudando de canal freqüentemente pra ver o que os comentaristas diziam. Apesar de tudo, venceu Rubens Ewald Filho. José Wilker não tem o conhecimento enciclopédico que o Rubinho tem.

A festa começou bem com o apresentador Chris Rock, que apesar de estar mais contido do que o costume, fez das suas com aquele seu sorriso meio Seinfeld. Engraçado quando ele comentou sobre o excesso de Jude Law nas telas. Todo filme que ele vai ver tem Jude Law. Segundo ele, quando os produtores não conseguem Tom Cruise, eles pegam o Jude Law, o que não é a mesma coisa. Também criticou a não indicação de FAHRENHEIT - 11 DE SETEMBRO à categoria de melhor documentário e a reeleição de Bush. Mas o mais engraçado foi quando ele, ao ver as pessoas recebendo o Oscar na platéia, falou: "da próxima vez, vão dar o Oscar lá no estacionamento!". Outros momentos de Chris Rock: quando ele substituiu Catherine Zeta-Jones e apresentou um prêmio ao lado de Adam Sandler, e quando ele fez uma pesquisa popular e constatou que o público comum não assiste aos filmes do Oscar.

Dos indicados na categoria principal, meu preferido era mesmo MENINA DE OURO, mas estava torcendo para O AVIADOR ganhar, já que além de ser uma obra-prima (cresceu muito em minha memória afetiva à medida que pensava no filme), seria uma maneira de consertar uma injustiça. Mas não foi dessa vez que Martin Scorsese levou a estatueta. E acho que THE DEPARTED, o próximo filme dele, não vai ter muita cara de filme pra Oscar, não.

Pelo menos, dois excelentes colaboradores de Scorsese, a montadora Thelma Schoonmaker, que trabalha com o diretor desde o seu primeiro filme, e o fotógrafo Robert Richardson, de quem eu só vim notar a excelência de seu trabalho quando ele fez a direção de fotografia de KILL BILL. Para O AVIADOR, ele fez um grande trabalho de simulação da fotografia em technicolor dos anos 30 aos 50. Mas o prêmio considerado mais importante para o filme foi o de atriz coadjuvante para Cate Blanchett.

De qualquer maneira, foi bom que o prêmio tenha ido pras mãos de Clint Eastwood. Seu trabalho em MENINA DE OURO foi realmente fenomenal. Até se poderia dizer que a Academia tem estado menos careta, já que nesse ano os dois principais concorrentes eram filmes bem sombrios. Poderia, se não fosse o tal hype em torno da figura de Clint nos últimos meses.

A overdose da noite foi de Beyoncé Knowles. A cantora participou de nada menos que três canções. Como de costume, as canções selecionadas são uma xaropada só. Se ao menos eles tivessem indicado o Mick Jagger pela canção de ALFIE... Ainda bem que a canção premiada foi a bela "Al Otro Lado del Rio", de DIÁRIOS DE MOTOCICLETA, rendendo o melhor momento da noite. O uruguaio Jorge Drexler, autor da canção, tinha sido impedido de cantar por não ser famoso o suficiente e a organização da festa colocou Antonio Banderas e Carlos Santana para substituí-lo. A canção ficou tão ruim que até parece que foi de propósito. A vingança veio quando ele foi receber o prêmio de canção e, em vez dos tradicionais agradecimentos, ele mandou um pedacinho da música à capela, só pra eles verem o que eles perderam ao não o terem escalado. Banderas ficou bem feliz.

A homenagem mais respeitosa da noite foi para o veterano Sidney Lumet, que está desde os anos 50 ativo e fazendo grandes filmes. Ele ganhou o prêmio especial pelo conjunto da obra.

Entre as beldades da noite, fiquei especialmente maravilhado com a beleza da colombiana Catalina Sandino Moreno, que concorria a melhor atriz pelo filme MARIA CHEIA DE GRAÇA. As outras mulheres lindas da noite foram a nossa Gisele Bünchen, sentada logo à frente, ao lado do namorado DiCaprio (com uma mulher daquelas, o Leo não tem como ficar triste por não ter ganhado o prêmio); e a Kate Winslet, com aquele sorriso lindo. Abaixo, fotos dessas três belezuras.



VENCEDORES:

Melhor Filme - MENINA DE OURO
Melhor Ator - Jamie Foxx, RAY
Melhor Ator Coadjuvante - Morgan Freeman, MENINA DE OURO
Melhor Atriz - Hilary Swank, MENINA DE OURO
Melhor Atriz Coadjuvante - Cate Blanchett, O AVIADOR
Melhor Direção - Clint Eastwood, MENINA DE OURO
Melhor Roteiro Adaptado - SIDEWAYS - ENTRE UMAS E OUTRAS
Melhor Roteiro Original - BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇAS
Melhor Filme de Animação - OS INCRÍVEIS
Melhor Direção de Arte - O AVIADOR
Melhor Fotografia - O AVIADOR
Melhor Figurino - O AVIADOR
Melhor Edição - O AVIADOR
Melhor Maquiagem - DESVENTURAS EM SÉRIE
Melhor Trilha Sonora Original - EM BUSCA DA TERRA DO NUNCA
Melhor Canção Original - "Al Otro Lado Del Río", DIÁRIOS DE MOTOCICLETA
Melhor Edição de Som - OS INCRÍVEIS
Melhor Som - RAY
Melhores Efeitos Visuais - HOMEM-ARANHA 2
Melhor Documentário - BORN INTO BROTHELS
Melhor Documentário - Curta-Metragem - MIGHTY TIMES: THE CHILDREN'S MARCH
Melhor Filme Estrangeiro - MAR ADENTRO (Espanha)
Melhor Curta de Animação - RYAN
Melhor Curta-Metragem - WASP

Nenhum comentário: