terça-feira, outubro 29, 2013

KICK-ASS 2



Uma coisa que tem cansado ultimamente em se tratando de filmes de super-heróis é a "disneyficação", no caso dos filmes da Marvel, e a "nolificação", com os filmes da DC. Não sei o que seria o mais nocivo. Daí o alívio e o prazer ao ver um filme de heróis mascarados (ainda que seja uma comédia e eles não possuam nenhum superpoder) que ainda tem a coragem de juntar a violência gráfica e até um pouco de escatologia no pacote. Aí é um ver pessoas levando a mão à boca sem acreditar no que está vendo durante a sessão. O que é muito bom. Afinal, precisamos mesmo de coisas que nos surpreendam, que arrisquem. Por isso, vejo KICK-ASS 2 (2013), agora com Matthew Vaughn apenas como produtor, como uma das melhores surpresas da temporada.

Mas nada disso funcionaria se o novo diretor, Jeff Wadlow, do horror CRY-WOLF – O JOGO DA MENTIRA (2005), que também assume o roteiro adaptado dos quadrinhos, não fosse tão cuidadoso com seus personagens, que ganham mais profundidade nesta sequência. Aaron Taylor-Johnson, que faz o Dave/Kick-Ass continua ótimo, mas o que garante realmente o sucesso do filme é a presença de Chloë Grace Moretz, novamente no papel de Mindy/Hit-Girl. E como Chloë cresceu. De uma criança no primeiro filme, agora é uma bela adolescente que cada vez mais tem conquistado ótimos papéis nas telas, assim como os corações de muitos espectadores.

Hit-Girl, depois da morte do pai no primeiro filme, passa a morar com o amigo policial, que cuida dela como um pai e faz com que ela prometa abandonar a vigilância. Obediente, ela acaba sofrendo muito sem poder fazer aquilo de que mais gosta. Mas é nesse momento que o filme aproveita para apresentar a evolução física da personagem, que agora lida com seus primeiros impulsos hormonais, com a chegada da libido.

Enquanto isso, Kick-Ass, solitário, resolve se juntar a um grupo de vigilantes mascarados liderados por um sujeito de extrema direita vivido por Jim Carrey. Em um papel pequeno, mas talvez até mais brilhante do que o de Nicolas Cage no primeiro filme.

Ah, e como esquecer o vilão, que responde por alguns dos momentos mais deliciosamente divertidos do filme? Red Mist (Christopher Mintz-Plasse) agora é o Motherfucker! E a cada vez que ele grita o seu novo nome o cinema vem abaixo.

Com tudo isso, KICK-ASS 2 é provavelmente o filme mais subestimado da temporada. Rejeitado até pelos poucos fãs do primeiro filme, já que não rendeu tão bem assim. De todo modo, do jeito que ficou, Mark Millar e John Romita Jr. devem ter ficado orgulhosos.

Nenhum comentário: