quarta-feira, setembro 25, 2013

QUATRO CURTAS EXIBIDOS NO CINE CEARÁ



Entre os curtas que não faziam parte das mostras competitivas da 23ª edição do Cine Ceará, pude ver estes quatro: um da mostra Maria de Medeiros, outro da Mostra Novo Cinema Português, um da mostra Olhar do Ceará e um, também cearense, que teve exibição hors concours. Comentários curtos e grossos sobre os filmes em questão.

AVENTURAS DO HOMEM INVISÍVEL

Bem que eu gostaria de ter visto o longa em segmentos do qual este curta faz parte (MUNDO INVISÍVEL, 2011), mas foi interessante ver este trabalho de Maria de Medeiros em conjunto com outros de seus filmes, até para notar melhor o seu viés humanista, o seu interesse pelas pessoas, inclusive pessoas comuns, anônimas, como um funcionário de um hotel, o protagonista deste curta, que mal aparece diante da câmera. No caso, a diretora faz com que nos sintamos um pouco no seu lugar, através do uso da câmera subjetiva.

CANÇÃO DE AMOR E SAÚDE

A Mostra Novo Cinema Português não foi lá um grande sucesso, apesar do prestígio dos títulos selecionados. Isso aconteceu por causa da má qualidade das cópias e da falta de legendas em algumas delas. Pode ser que tenha melhorado nos dias seguintes, mas fiquei tão decepcionado que tudo que vi foi este curta, pois o longa que passaria a seguir (A VINGANÇA DE UMA MULHER, de Rita Azevedo Gomes) começou com problemas de áudio e depois foi cancelado por falta de energia elétrica. CANÇÃO DE AMOR E SAÚDE (2009, foto), de João Nicolau, é uma obra de narrativa poética, envolvendo um chaveiro e uma moça que faz a encomenda de uma chave. Uma chave que abre mais do que uma porta. Seria o caso de um curta para se rever com calma e apreciar melhor.

A RABECA

Achei curioso o fato de o único curta que vi na Mostra Olhar do Ceará ter sido justamente um dos dois premiados do festival. Digo isso pois não gostei nada deste curta que brinca com narrativas e metalinguagem. Sua estrutura – e até mesmo sua fala final, mostrando um pouco de autodepreciação – talvez fique manjada até em um conto. Em um curta com jeitão amador, acabou parecendo pretensioso. Mas, quem sabe, isso seja um sinal de que a diretora deste A RABECA (2012), Irene Bandeira, tem potencial.

ANTES DO FIM

Uma bela surpresa este curta que homenageia a mais imponente e bela de nossas salas de cinema, o Cine São Luiz. Com depoimentos de Cristiano Câmara, Pedro Martins Freire, José Augusto Lopes, entre outros, ANTES DO FIM (2013) mostra o painel dos cinemas de Fortaleza na primeira metade do século XX, bem como os hábitos de seus frequentadores. Conta-se da inesquecível estreia da sala, com o drama ANASTÁCIA, com Ingrid Bergman, e a invasão das superproduções hollywoodianas em scope coloridas, que davam à sala um ar especial. Aliás, só de entrar naquele palácio, não importa pra que filme, já se fica encantado. E é realmente uma pena que o Cine São Luiz esteja abandonado pelos governantes. Tomara que não seja de fato o fim.

Nenhum comentário: