terça-feira, setembro 24, 2013

DEXTER – A OITAVA TEMPORADA COMPLETA (Dexter – The Complete Eighth Season)



Antes de ver o episódio final desta oitava e última temporada de DEXTER (2013) eu já estava me preparando para falar o quanto a temporada estava ruim e aquém até mesmo das piores da história da série. No entanto, o apego que a gente tem com os personagens e o modo ao mesmo tempo cruel e belo como os criadores resolveram finalizar a história de Dexter, Deb e cia. fez com que eu ficasse realmente emocionado.

E pensar que foi a última vez que vi aqueles créditos de abertura... Vou sentir falta do elenco, que é tão bom que chega a ser um dos atrativos para se continuar vendo a série, mesmo quando ela está perto do fundo do poço. Se bem que quando chegava lá, os roteiristas sempre davam um jeito de reerguer, de trazer um episódio que trouxesse alegria para os fãs da série, que acompanharam durante esses oito anos a história de um serial killer do bem. E a trajetória de Dexter Morgan foi bonita, apesar de muitos acharem até um tanto moralista.

Claro que mesmo com um episódio final tão eletrizante e amargo fica até difícil falar das falhas da série, que não eram poucas. Havia um excesso de autoexplicação com voice-over do Dexter que a todo momento entregava uma narrativa tão mastigada que qualquer pessoa que nunca tivesse visto nenhum episódio acompanharia sem muito problema. Além do mais, aquele pai dele que aparecia como fantasma/consciência era diretamente chupado de A SETE PALMOS, que não por acaso também contava com Michael C. Hall.

Poderia reclamar de Hannah McKay (Ivonny Strahovski), que começou como uma poderosa femme fatale, e acabou boazinha demais. Mas a atriz é tão linda que não dá pra reclamar muito. E seu papel foi bem importante para o desfecho da série. Até mais do que Charlotte Rampling, uma atriz bem mais prestigiada, e que apareceu no final da série como a psicóloga que inventou o código que Dexter usa desde criança, o código que faz com que ele canalize sua energia assassina para os criminosos. Boa atriz que é, esperava-se algo melhor. Provavelmente era tudo culpa do texto, que não era assim tão inteligente.

Mesmo assim, ao contrário do que imaginava, apesar de ter passado do ponto, DEXTER vai deixar saudade. E aquele close final vai ficar registrado em nossa memória por um longo tempo.

Nenhum comentário: