sexta-feira, agosto 31, 2007

ESPÍRITOS - VOCÊ NUNCA ESTÁ SOZINHO (Faet / Alone)



Uma pena que este ESPÍRITOS - VOCÊ NUNCA ESTÁ SOZINHO (2007) não repita a mesma força apavorante de ESPÍRITOS - A MORTE ESTÁ AO SEU LADO (2004), que fez muito sucesso no Brasil e que me deixou arrepiado diversas vezes, além de conter também uma das cenas mais engraçadas dos últimos anos - a tal cena do banheiro. Ao contrário do que a distribuidora brasileira quer vender, este novo filme, ainda que seja dirigido pelos mesmos diretores do anterior, não é uma continuação, como pode-se perceber até pelos títulos internacionais do filme.

Que a Tailândia não produz filmes de terror da mesma qualidade que os produzidos no Japão e na Coréia do Sul, a gente já sabe. Por isso mesmo que o filme anterior dos diretores Bansong Pisanthanakun e Parkpoom Wongpoom (nada como o velho copy/paste) havia me surpreendido. Pra falar a verdade, não sei se existe alguma tradição na Tailândia em filmes do gênero, mas acredito que não, pois o estilo de provocar arrepios e sustos é bastante semelhante ao horror produzido no Japão. Apesar de ser um pouco fraco, ESPÍRITOS VOCÊ NUNCA ESTÁ SOZINHO tem os seus momentos. Difícil não ficar arrepiado, por exemplo, na cena em que a protagonista vai se deitar na cama e ouve uma respiração ofegante. A câmera fica focalizada apenas em seu rosto, em close, e, assim como ela, ficamos igualmente temerosos de olhar para trás e ver algo realmente assustador. Pode-se dizer que o maior horror está na expectativa, mas do que quando o filme mostra o tal espírito.

Na trama, uma jovem tailandesa vivendo na Coréia do Sul fica sabendo que sua mãe está muito doente. Ela viaja então para sua terra natal, ao lado do marido. Essa mulher, no passado, tinha uma irmã siamesa que morreu na adolescência. Porém, ao chegar na Tailândia, ela passa a ser assombrada por um espírito rancoroso. Aos poucos, com os diversos flashbacks, ficamos sabendo mais detalhes do relacionamento das duas irmãs, culminando com a revelação final.

De original, o filme só tem mesmo o fato de a história ser sobre irmãs siamesas, coisa pouco comum no cinema. (Teve aquele filme dos irmãos Farrelly (LIGADO EM VOCÊ), mas era uma comédia. Bem que podiam fazer um drama sério sobre irmãos siameses um dia.) Mas no geral, o filme não acrescenta muito ao gênero, nem consegue ser suficientemente assustador - as cenas da aparição da fantasminha são bem manjadas. Em certo momento, os personagens se tornam ridículos, a estória também cai no ridículo e quando aparece finalmente a revelação final, o filme parece mais uma caricatura do horror nipônico com pitadas do horror hollywoodiano.

Nenhum comentário: