quarta-feira, maio 29, 2013

SEM PROTEÇÃO (The Company You Keep)



Dando continuidade ao seu cinema politizado que se iniciou com LEÕES E CORDEIROS (2007) e com o excelente CONSPIRAÇÃO AMERICANA (2010), Robert Redford, em seu novo filme, SEM PROTEÇÃO (2012), traz mais um tema espinhoso à tona, que provavelmente seria, em outras épocas, vetado pela censura dos Estados Unidos, por não mostrar os revolucionários do grupo Weather Undergound como terroristas, mas ativistas radicais de esquerda que estavam fazendo o que julgavam ser o certo naquele cenário em que a Guerra do Vietnã se tornava cada vez mais um absurdo para o próprio país e para os invadidos.

Uma pena que, no fim das contas, o filme se torna mais um thriller de perseguição (por parte de Redford) e de investigação (por parte de Shia LeBeouf). SEM PROTEÇÃO acaba se diluindo um pouco ao longo de sua metragem, principalmente quando vemos que o personagem de Redford passa a ver que a família é muito mais importante do que aqueles atos políticos de esquerda de sua juventude.

Talvez seja uma posição do próprio diretor e é provavelmente natural, em se tratando do amadurecimento das pessoas, que tendem a ficar mais sensíveis. Uma cena exemplar é a da personagem de Sarandon, na cadeia, confidenciando ao jovem repórter que, se não tivesse filhos, ela faria tudo outra vez, sem dúvida. Mais uma vez o valor da família entra em foco. Isso, por um lado, dá um tom humanista ao filme, mas também torna débeis os frustrados movimentos esquerdistas daquela época.

Na trama, Susan Sarandon é uma mulher que participou do grupo Weather Underground e que, 30 anos depois, resolve se entregar à polícia. Durante um dos atos do grupo, um assalto a banco, uma pessoa foi morta por um tiro. A notícia da prisão da ex-companheira acaba abalando as estruturas da vida de um pacato advogado, vivido por Redford, que usa uma identidade falsa para se proteger e cuidar de sua agora pequena família. Já que a esposa morreu há um ano, ele agora cuida sozinho da pequena filha. LeBeouf é o jornalista ambicioso que procura um grande furo de investigação e acaba fazendo o que o próprio FBI não consegue: desmascarar o advogado.

O elenco de apoio é sensacional, formado por jovens e veteranos intérpretes, todos bem talentosos. Além dos já citados Redford, LeBeouf e Sarandon, há ainda participações nada gratuitas de Terrence Howard, Stanley Tucci, Nick Nolte, Chris Cooper, Richard Jenkins, Anna Kendrick, Brendan Gleeson, Brit Marling, Julie Christie e Sam Elliot.

O que pode incomodar um pouco à ala esquerdista é o fato de que, no fim das contas, as acusações e perseguições se desenrolam por causa de uma morte, e não pelos ideais do grupo, que hoje se revelam inofensivos dentro de um sistema capitalista estabelecido.

Nenhum comentário: