sexta-feira, abril 02, 2010

THE SWEET SEX AND LOVE (Masitneun Sex Geurigo Sarang)



O cinema sul-coreano está cada vez mais sofisticado. O país tem produzido excelentes filmes de horror, policiais, comédias românticas e essas obras eróticas, mais ousadas, falando de sexo de maneira aberta. THE SWEET SEX AND LOVE (2003), de Bong Man-Dae, se enquadra nessa categoria. É um belo filme sobre uma história comum, de relacionamentos que começam bem, mas que eventualmente chegam ao seu fim. O diferencial está nos detalhes. Afinal, poucos filmes, principalmente os americanos, mais recatados, têm a coragem de expor detalhes da intimidade do casal, como a primeira experiência com sexo anal ou conversas mais íntimas envolvendo as zonas erógenas.

O filme conta com uma beleza plástica exemplar e é dividido em capítulos intitulados como "Desculpar-se com um pênis e perdoar com um orgasmo". E o bonito é que é um filme que romantiza o sexo como parte integrante do amor e não como algo separado e tabu. A última cena, por exemplo, dos dois no carro, na chuva, é belíssima. Ambos sabiam que aquela era a última vez, então fica um clima agridoce, uma dor no peito.

Mas antes disso é só festa. Sexo em lugares públicos, experimentações em casa, a experiência de morar junto, a necessidade de demonstrar afeto e mesmo algumas discussões acabam gerando uma boa química para um sexo ainda melhor, ligado às emoções. A moça (Kim Seo-hyeong) tem um belo corpo. Não tem aquele padrão de mulher gostosona do ocidente, com peitões e grandes quadris, mas o corpo é muito bem fotografado.

Apesar de bem liberal, o filme tem ainda algumas restrições, como não mostrar as genitálias, nem dele, nem dela. Na verdade, eu não sei se existe cinema pornô na Coréia do Sul. Mas dentro de suas restrições, eles são capazes de fazer trabalhos bem excitantes e ousados, como o memorável MENTIRAS, de Sun-Woo Jang, que lida com o complicado tema do sadomasoquismo.

Nenhum comentário: