terça-feira, agosto 18, 2009

CONFISSÕES DE UMA GAROTA DE PROGRAMA (The Girlfriend Experience)



Um dos segredos para se gostar de CONFISSÕES DE UMA GAROTA DE PROGRAMA (2009) é já estar preparado para ver um filme sem cenas de sexo e com vários momentos de negociações da protagonista com clientes ou outros "profissionais" da área. Mas o que torna o filme interessante é que ele não é tão frio quanto se imagina. Ao contrário, fortes e conflitantes sentimentos são mostrados com sensibilidade admirável, com a já costumeira ausência de música em praticamente todo o filme, tornando o registro quase documental. Steven Soderbergh continua com sua determinação em fazer filmes mais alternativos por vontade própria, mesmo com a total liberdade que tem em fazer trabalhos mais comerciais com astros badalados de Hollywood. Mesmo em trabalhos aparentemente mais comerciais, como as duas continuações de ONZE HOMENS E UM SEGREDO (2001), o cineasta tem feito o que dá na telha, sem se preocupar com o gosto médio e tendo que enfrentar a forte possibilidade de seu filme ser odiado pela audiência.

O filme de Soderbergh que mais se aproxima de CONFISSÕES DE UMA GAROTA DE PROGRAMA talvez seja BUBBLE (2005), que também lida com o tema da solidão. Se essa temática é menos explícita no filme estrelado pela bela estrela pornô Sasha Grey é porque há algo mais a se discutir. Mas a solidão está lá. Seja no momento em que Chelsea chora esperando por um cliente, seja quando outro homem que contrata os seus serviços "desaba" só de abraçá-la. Dentro de um universo de carros importados, roupas caras e apartamentos de luxo, onde o dinheiro parece ser a coisa mais importante, as pessoas estão cada vez mais solitárias e carentes. Mas pelo menos essas têm a vantagem de contratar os serviços das melhores garotas de programa e ainda pagar um bom analista.

Uma coisa que eu não sabia, em minha ingenuidade, é que existem sites especializados com reviews de garotas de programa. Um sujeito faz o "test drive" e depois dá a nota, contando para os leitores e potenciais clientes o que aquela menina faz de melhor ou de pior. O termo "the girlfriend experience" do título original se refere à contratação dos serviços da moça para que ela aja como uma namorada. A primeira vez que vi o termo foi na série THE BIG BANG THEORY, quando os rapazes vão até Las Vegas tentar animar os ânimos do amigo Howard. O título original, porém, não chega a resumir a temática do filme, que é bem mais curto do que eu esperava. E digo isso como um elogio, pois não tinha uma experiência tão boa com um filme de Soderbergh desde SOLARIS (2002), outro subestimado e até execrado trabalho do diretor.

Quanto a Sasha Grey, dando uma olhada em sua filmografia, a fim de conhecer a performance da moça em filmes adultos, dei de cara com um tal de SEINFELD: A XXX PARODY. Cada coisa que o povo faz.

P.S.: Saiu edição nova da Revista Zingu! Essa edição tem um texto meu na sessão Musas Eternas (falando de Naomi Watts), mas o maior destaque é o Dossiê João Silvério Trevisan, o escritor que teve uma passagem pelo cinema e que tem sua obra, tanto no cinema quanto na literatura, comentada pela equipe da revista. Destaque também para o especial Nelson Rodrigues no Cinema, que conta com oito filmes resenhados, mais um excelente texto introdutório de Andrea Ormond.

Nenhum comentário: