quinta-feira, abril 30, 2009

THE SPIRIT – O FILME (The Spirit)



Que desperdício de elenco, de tempo e de dinheiro é ver este THE SPIRIT – O FILME (2008), dirigido pelo mestre dos quadrinhos Frank Miller, provavelmente o artista que eu acompanho a carreira há mais tempo – desde a época de sua revolucionária entrada no título do Demolidor, publicada no Brasil na saudosa Superaventuras Marvel. Por mais que seu estilo nos quadrinhos fosse cinematográfico, suas incursões no cinema não foram muito felizes. A começar pelo fracasso de sua estreia como roteirista nas duas continuações de ROBOCOP e incluindo sua parceria com o amigo Robert Rodriguez em SIN CITY – A CIDADE DO PECADO (2005). Se bem que há uma boa parcela de fãs de SIN CITY. O mesmo não se pode dizer de THE SPIRIT, que é um filme que agrada a poucos. Fui ao cinema disposto a ser um desses poucos, mas infelizmente achei o trabalho intragável e soporífero.

O que há de bom são as beldades, ainda que mal aproveitadas. Eva Mendes, Scarlett Johansson, Jaime King e Paz Vega surgem na maior parte das vezes em trajes sensuais. Inclusive, eu diria que a melhor cena do filme é a da xerox da bunda de Eva Mendes. No mais, não embarquei na viagem humorística, no tom pastelão, no exagerado uso de computação gráfica e nas interpretações teatrais do filme. Não tive contato com os quadrinhos originais de Will Eisner, mas tenho certeza que mesmo que os quadrinhos adotem um tom cômico, diria que Miller errou a mão na composição de sequências engraçadas. Sabe quando a gente percebe quando alguém tenta ser engraçado e não consegue? Pois é esse esforço que eu senti, principalmente nas cenas com Samuel L. Jackson e suas piadas envolvendo ovos. Nem diria que o filme é um trabalho corajoso de Miller, afinal, ele está dando sequência a SIN CITY, que teve um bom sucesso de bilheteria. Tem até crítico que anda chamando THE SPIRIT de "Sin City 2". A propósito, no momento, a continuação do sucesso de Rodriguez e Miller parece estar passando por uma difícil negociação envolvendo direitos de produção.

O filme conta a história – se é que dá pra dizer que tem uma história - de um policial morto, uma espécie de fantasma, que combate o crime nas ruas de uma cidade cheia de criminosos. Seu arqui-inimigo é o Octupus, o personagem de Samuel L. Jackson, que tem como assistente a loira Johansson e vários clones de Louis Lombardi, que representa outra tentativa frustrada do filme de fazer rir. Encarando como algo bizarro, até que dá pra respeitar um pouco mais THE SPIRIT. Mesmo assim, por mais que uns poucos fãs elogiem o trabalho de Miller, tenho certeza que o boca-a-boca negativo deve tornar o filme fadado ao fracasso de bilheteria.

P.S.: Hoje os jornais trouxeram a boa notícia da abertura de mais seis salas de cinema em Fortaleza. Trata-se do Complexo de Cinema Via Sul Shopping, no bairro Seis Bocas. E a boa é que uma das salas trará finalmente a projeção em 3D à cidade. Até que enfim! O primeiro 3D que devo ver lá é MONSTROS VS. ALIENÍGENAS. Mas me tirem uma dúvida: é verdade que não existem filmes legendados nessa tecnologia?

Nenhum comentário: