quinta-feira, abril 16, 2009

WATCHMEN – CONTOS DO CARGUEIRO NEGRO (Watchmen – Tales of the Black Freighter)



Por mais que digam que a adaptação para cinema de WATCHMEN pecou em vários aspectos, não dá pra negar o esforço de Zack Snyder e dos produtores em tentar se aproximar o máximo possível da minissérie de Alan Moore e Dave Gibbons. E um dos destaques da minissérie (ou graphic novel, como queiram) é um gibi dentro do gibi intitulado "Contos do Cargueiro Negro", que é lido por um garotinho pobre em frente a uma banca de jornais. O menino não tem dinheiro para comprar o gibi, mas o lê emprestado, sentado no chão da rua, deliciando-se com a violenta e dramática história de horror e de piratas. "Contos do Cargueiro Negro" não foi incorporado ao filme, mas foi transformado num curta-metragem em animação de 25 minutos de duração que chega em breve ao Brasil em WATCHMEN – CONTOS DO CARGUEIRO NEGRO (2009). No DVD, além da citada animação, há um interessante "bônus": o mockumentary SOB O CAPUZ , que conta com a participação de vários astros do filme. Eu gostei bem mais do divertido falso documentário do que da animação, que não acrescenta muito ao que já foi visto nos quadrinhos.

CONTOS DO CARGUEIRO NEGRO, a animação, mostra a trágica história de um marinheiro que é o único sobrevivente de um ataque de piratas. Os vilões mataram toda a tripulação e quando ele se vê sozinho numa ilha deserta cercado de corpos de seus amigos e pássaros famintos, ele resolve construir uma jangada utilizando pedaços dos cadáveres, já deformados pelo efeito da água do mar. Como já era de se prever, o sangue dos cadáveres funciona como um atrativo para os tubarões. E isso é apenas um dos ingredientes do banho de sangue que é a animação. A narração ficou por conta de Gerard Butler, que havia trabalhado com Zack Snyder em 300. O filminho tem clima de histórias de quadrinhos de horror e foi assim idealizada por Moore: de forma bem exagerada mesmo.

Mas se CONTOS DO CARGUEIRO NEGRO pode até ser visto por quem nunca viu WATCHMEN ou leu os quadrinhos, SOB O CAPUZ é recomendado pelo menos para quem viu o longa-metragem. Nele, vemos um programa de TV de 1985 que resgata uma edição do programa de dez anos atrás, quando foi feita uma reportagem sobre os super-heróis do universo de "Watchmen". O programa acontece por ocasião do lançamento do livro do primeiro Coruja, intitulado "Sob o Capuz", que conta os bastidores de sua experiência como herói fantasiado. Assim, vemos entrevistas com a primeira Espectral (Carla Gugino) – uma boa pra quem achou a participação dela no filme curta - e outros membros dos Minutemen, além de matérias que mostram a história do surgimento dos primeiros heróis fantasiados. Alguns desses heróis dariam belos filmes, como o Capuz, a Silhouette (a heroína lésbica super-sexy) e aquele outro vestido de mariposa que fica louco. Mas, além dos heróis e vilões, também podemos ver as pessoas comuns que faziam parte da vida daqueles lunáticos, como o dono da banca, o psicólogo da Espectral, o assistente do Dr. Manhattan etc. Para completar, há também divertidos falsos comerciais, como o do perfurme fabricado por Adrian Veidt, o Ozymandias. SOB O CAPUZ é um filme criativo e que poderia até ser mais longo que não cansaria o espectador.

Nenhum comentário: