segunda-feira, julho 29, 2013

TENTAÇÃO PROIBIDA (Così come Sei)



Histórias de homens mais velhos que se apaixonam por garotas bem mais jovens costumam ser interessantes, mesmo as que são cruéis com seus personagens masculinos. No caso de TENTAÇÃO PROIBIDA (1978), de Alberto Lattuada, a situação é ainda mais difícil para o protagonista, Giulio, vivido por Marcello Mastroianni, porque a garota que ele conhece é suspeita de ser sua filha, fruto do namoro que teve com a mãe da moça, vinte anos atrás. Os espectadores masculinos podem se identificar e sofrer um pouco com Giulio, já que a tal garota é vivida pela jovem Nastassja Kinski, linda como nunca, pouco antes de cair nas garras de Roman Polanski. No ano seguinte, ela faria TESS – UMA LIÇÃO DE VIDA, do diretor polonês.

Em TENTAÇAO PROIBIDA, Nastassja é Francesca, uma moça que se interessa pelo arquiteto Giulio. Um dos motivos de ela se interessar por ele, apesar da idade, é de ordem freudiana: em seu quarto há vários retratos de homens velhos famosos. Ela sente uma necessidade de se entregar a alguém mais velho, já que nunca conheceu o seu verdadeiro pai. Enquanto isso, o pobre Giulio fica se martirizando, sem saber o que fazer, achando que poderá estar cometendo incesto. Tal dramaticidade do enredo ganha tintas românticas com a trilha sonora do grande Ennio Morricone.

Outro elemento bastante atrativo é o fato de vermos a jovem Nastassja sem roupa, passeando pelo apartamento com total desenvoltura e orgulho do belo corpo. Uma cena de um café da manhã dos dois até faz lembrar uma famosa sequência de LUA DE FEL, do já citado Polanski, guardadas as devidas proporções. Mas a comparação não é gratuita, já que Francesca sensualiza com uma colher e a boca.

Apesar desses momentos eróticos e de nudez, que também incluem a irmã de Francesca, vivida por Ania Pieroni, que trabalharia em obras de Dario Argento e Lucio Fulci, o tom do filme é mesmo o de uma história de amor. TENTAÇÃO PROIBIDA, apesar de lidar com tabus e com o caso de um homem casado com uma moça que poderia ser sua filha, carrega consigo o espírito transgressor e libertário da década de 1970, que valoriza mais o amor e a liberdade do que as obrigações familiares impostas pela sociedade.

Nenhum comentário: