quinta-feira, outubro 27, 2005

WALTER HUGO KHOURI EM DOIS FILMES



Interessante notar o quanto Walter Hugo Khouri tem em sua filmografia esses títulos femininos no plural: AS AMOROSAS (1968), AS DEUSAS (1972), AS FILHAS DO FOGO (1978), AS FERAS (1995). AS CARIOCAS (1966) é o primeiro dessa leva, embora não seja um filme inteiramente dirigido pelo diretor. Isso só demonstra o fascínio que as mulheres lhe despertam e isso se reflete em sua obra. Em seus filmes há espaço tanto para a mulher na figura de mãe, quanto, principalmente, a mulher como amante. Às vezes, essas duas personificações da mulher se fundem e se confudem, como acontece em AMOR, ESTRANHO AMOR (1982), com a cena de sexo do garoto com sua própria mãe (Vera Fischer).

Entre as várias musas que habitam a obra khouriana, Lilian Lemmertz é das mais importantes. Ela está presente nos dois filmes abaixo, embora apareça apenas rapidamente em AS CARIOCAS. Em AS DEUSAS ela aparece com brilho intenso. Sobre a atriz, Carlos Reichenbach falou no site Mulheres do Cinema Brasileiro: "qualquer close de Lilian Lemmertz em AS DEUSAS diz mais que mil páginas de diálogos." A atriz esteve presente em nada menos que nove filmes de Khouri.

AS CARIOCAS

Como é de se esperar em filmes de episódios, AS CARIOCAS é uma obra irregular. Mais pela diversidade de estilos dos três diretores do que pela qualidade dos episódios. O episódio de Khouri é o mais sério, mais destituído de humor. Mas é um dos mais belos. As cenas de close da protagonista - alguém sabe o nome da moça? - que abrem e encerram o episódio são muito bonitos. A heroína desse filme lembra a protagonista de O PALÁCIO DOS ANJOS (1970), mas sem a mesma amargura. A mulher aqui tem suas razões para trair o noivo, mas sem nunca deixar de lhe oferecer carinho. O episódio de Fernando de Barros é o que mais se parece com as chanchadas tradicionais. Norma Bengell é uma mulher que tenta ganhar um carro pago tanto pelo marido quanto pelo amante. O episódio de Roberto Santos fecha o filme, mostrando uma mulher que luta pelo direito de usar pouca roupa no Rio de Janeiro. Muito divertido e o mais inventivo dos três.

AS DEUSAS

Uma das obras-primas da filmografia de Khouri, AS DEUSAS traz Mário Benvenutti num triângulo amoroso com a mulher (Lilian Lemmertz) e sua terapeuta (a belíssima Kate Hansen). Assim como AMOR VORAZ (1984), AS DEUSAS mostra uma mulher com problemas de depressão. Lilian Lemmertz viaja com o marido para uma casa afastada da cidade para esquecer um pouco dos problemas e tentar se curar de sua enfermidade. Chegando na casa, porém, ela começa a ficar perturbada e a sentir uma presença maligna no ambiente. Em certos momentos, o filme se assemelha a um filme de horror, e serve como um aperitivo para quem nunca viu os filmes fantásticos de Khouri. Algumas cenas são difíceis de sair da cabeça, como a das duas meninas tomando banho nuas no rio ou a cena da bebedeira com Benvenutti e as duas mulheres. Khouri acaba mostrando qual o melhor remédio para a depressão.

Agradecimentos ao Renato, que me forneceu cópias dos filmes, gravados do Canal Brasil.

P.S.1: Continuo revoltado com a falta de fotografias de filmes brasileiros mais antigos na internet.

P.S.2: A propósito de Khouri, recomendo um blog que foi criado há uns dois meses e que merece visitação diária. Estranho Encontro é o blog de Andréa Ormond. A moça é especialista em cinema brasileiro e fã de Walter Hugo Khouri. Cada texto bacana.

Nenhum comentário: