terça-feira, outubro 28, 2014

O APOCALIPSE (Left Behind)



Quando eu era criança, um de meus maiores temores era acordar e não ver mais a minha família em casa, ela ter sido arrebatada. O arrebatamento da Igreja era contado por minha mãe e ao mesmo tempo que me deixava impressionado, me deixava também com muito sentimento de culpa, já que eu tinha uns pensamentos "impuros", mesmo criancinha, mesmo não sabendo direito o que era sexo. Mas, na minha cabeça (talvez por eu já ter começado a ler com quadrinhos e com o Livro de Gênesis), aquilo era errado, e portanto eu seria um daqueles que ficariam para enfrentar o começo do fim na Terra. Hoje penso que isso é mais terrorismo para conquistar adeptos para as igrejas evangélicas, mas o tema continua me interessando muito. Aliás, não só a mim, já que até uma série de televisão recente e sem interesse religioso aborda o tema, THE LEFTOVERS.

O APOCALIPSE (2014) é baseado no mesmo livro que deu origem ao telefilme DEIXADOS PARA TRÁS, esse sim feito exclusivamente para os evangélicos ou com interesse em converter pessoas. O telefilme rendeu uma dúzia de continuações, mostrando eventos posteriores ao desaparecimento dos puros de espírito, e baseados no Apocalipse de S. João.

O filme estrelado por Nicolas Cage tem tudo o que se esperaria de um filme dessa natureza: diálogos ruins, atuações canastronas, cara de filme B, interesse em evangelizar, moralismo incômodo. A diferença é que tudo o aspecto evangelizador é discreto e a cara de filme B até dá ao filme certo charme. Sem falar que o andamento da narrativa é agradável, por piores falhas que encontremos. Além do mais, em certo momento, o que mais importa é o que acontece dentro do avião pilotado pelo personagem de Cage.

A trama gira em torno de um piloto de avião (Cage) que trai a esposa com uma comissária de bordo e foge da família no dia do seu aniversário com a desculpa de que foi chamado para trabalhar. A esposa é também tida como chata ou louca pela filha (Lea Thompson) pela mania que tem em evangelizar. Tanto que quando acontece o desaparecimento das pessoas em todo o mundo muitos que já conheciam a passagem bíblica sabiam o que estava acontecendo.

Quando o filme se centra na situação de perigo do avião, o conteúdo religioso diminui drasticamente, já que o que mais importa naquele momento é conseguir fazer o avião aterrissar. Assim, o que era para ser um filme sobre o fim do mundo (ou o começo do fim) acaba se tornando um thriller como outro qualquer. O que não deixa de ser curioso, já que se nota um temor em não exagerar na dose de evangelização e não fazer de O APOCALIPSE um filme de gueto. Ao contrário, parece mais direcionado a um público interessado apenas em puro entretenimento.

Quanto a Nicolas Cage, ele continua sua brava luta em se autossabotar com filmes ruins. Como foi o caso do recente FÚRIA. Mas de vez em quando dá para se divertir com esses trabalhos. Contanto que já estejamos preparados para o pior.

Nenhum comentário: