segunda-feira, abril 07, 2014

A VIDA ÍNTIMA DE UMA COLEGIAL (La Liceale)



Claro que o que me chamou a atenção para ver este filme foi a presença sempre bem-vinda da linda e maravilhosa Gloria Guida, em seus tempos áureos. A VIDA ÍNTIMA DE UMA COLEGIAL (1975) é o primeiro de uma série de filmes estrelados por uma colegial que gosta de provocar os homens, sejam os mais novos, sejam os mais velhos. Acabei vendo o filme achando se tratar do A COLEGIAL QUE LEVOU PAU, de 1978, mas depois acabei descobrindo se tratar do primeiro filme da série.

A nudez estonteante de Gloria é mostrada em toda exuberância logo no começo do filme, enquanto ela se veste para ir à escola. Os lindos e loiros pêlos pubianos são apresentados em close-up, que junto com o "conjunto da obra" mostra um corpo que parece nascido da poesia. Importante destacar que naquela época, e também em boa parte da década seguinte, não havia ainda esta cultura de academias para moldar o corpo das mulheres. As mulheres que nasciam lindas é porque eram lindas de nascença mesmo.

Caso desta bela loira de olhos grandes e rosto angelical, que soube combinar tão bem a inocência do olhar com a malícia dos gestos, a consciência de seu poder de sedução. É assim nas várias vezes em que ela perturba a concentração dos professores ao deixar suas pernas um pouco mais abertas durante a aula. Ou faz com que suas pernas sejam mais vistas em uma saia maior, mas com a possibilidade de ser desabotoada verticalmente.

Quanto ao filme, trata-se de uma comédia boba, que começa até que muito bem, mas que vai perdendo um pouco de sua força ao longo da narrativa. Vale mesmo para contemplar novamente a presença de Guida, que descobri no que acredito ser o seu melhor trabalho, o impactante VINTE ANOS, de Fernando Di Leo. No entanto, A VIDA ÍNTIMA DE UMA COLEGIAL, se comparado com QUELLA ETÀ MALIZIOSA, de Silvio Amadio, lançado também em 1975 e que também explora a sedução e o sex appeal da estrela italiana, parece um filme até mais bem resolvido, embora não tenha uma cena tão sensual como à do ônibus.

Uma coisa que chama muito a atenção para nós, espectadores brasileiros, em A VIDA ÍNTIMA DE UMA COLEGIAL (e provavelmente em todos os demais filmes da série LA LICEALE) é a semelhança com o humor da ESCOLINHA DO PROFESSOR RAIMUNDO, o programa humorístico do nosso saudoso Chico Anysio. Isso porque há momentos em que alguns personagens não apenas se parecem com os brasileiros (um dos professores é a cara do Galeão Cumbica (interpretado por Rony Cócegas), como também fazem suas patetadas na sala de aula. Importante lembrar que na Escolinha havia também espaço para um apelo sensual com uma ou outra personagem feminina se destacando.

De qualquer maneira, mesmo que não tenha havido uma influência direta ou indireta, não há dúvida que havia uma semelhança muito forte entre as comédias eróticas italiana e brasileira. O diretor Michele Massimo Tarantini faria ainda outros filmes do gênero com beldades como Edwige Fenech, Lilli Carati, a própria Gloria Guida, além da brasileira Suzane Carvalho, com quem faria o W.I.P. FÊMEAS EM FUGA (1985).

Nenhum comentário: