quinta-feira, julho 26, 2012

ATAQUE AO PRÉDIO (Attack the Block)



A estreia de Joe Cornish no cinema com ATAQUE AO PRÉDIO (2011) ocorreu praticamente em paralelo com seu sucesso como roteirista em Hollywood, com AS AVENTURAS DE TINTIM (2011), de Steven Spielberg. Cornish também foi contratado como um dos roteiristas de ANT-MAN, o filme do Homem-Formiga. ATAQUE AO PRÉDIO foi lançado direto em vídeo no Brasil. Por isso é pouco conhecido do grande público, que a princípio pode julgá-lo como um terror B ordinário. Na verdade, esta produção inglesa, além de trazer muita ação e os monstros mais criativos dos últimos anos, também trata da questão do abismo social existente entre os brancos e os negros, filhos de emigrantes, na Inglaterra.

Na trama, um grupo de jovens marginais do sul de Londres assalta uma jovem que passa pela rua à noite. No mesmo momento, caem do céu objetos estranhos, que logo revelam ser criaturas extraterrestres. Uma dessas criaturas, menorzinha, é morta pelo líder da gangue, Moses. Aos poucos, outras criaturas, desta vez, mais assustadoras, pois são maiores, completamente escuras e com apenas os dentes brilhantes à mostra, perseguem ferozmente o grupo. Os garotos acabam tendo que pedir ajuda à moça que eles assaltaram.

ATAQUE AO PRÉDIO é um mix de gêneros: drama, terror, comédia, ficção científica, filme de gangues e ainda lida com as questões sociais que o país quer esconder. Os efeitos especiais são simples, mas funcionam que é uma beleza. Como todas as cenas acontecem à noite, os monstros peludos ficam mais assustadores. Sangue e gore não faltam ao longo da longa perseguição. Não tão longa, na verdade, pois o filme tem menos de uma hora e meia de duração. Assim, não cansa o espectador, diverte, passa um sentimento de solidariedade e traz um espetáculo um pouco diferente do que estamos acostumados a ver no cinema americano.