sexta-feira, dezembro 03, 2004

THRILLER - A CRUEL PICTURE (Thriller - En Grym Film / They Call Her One Eye)



Esse negócio de internet é uma maravilha mesmo. Nem consigo lembrar como era o mundo antes da web, especialmente quando se tratava de conseguir filmes inéditos no Brasil. Através do amigo Leandro Caraça, consegui uma cópia em DVD-R da edição americana de THRILLER - A CRUEL PICTURE (1974), também conhecido como THEY CALL HER ONE EYE, o filme que inspirou Tarantino a criar a personagem Elle Driver em KILL BILL. Aliás, não só a personagem de Darryl Hannah, como também a própria Beatrix Kiddo (Uma Thurman), em sua busca por vingança, pode ter nascido a partir da história da garota sofrida de THRILLER.

O diretor desse filme, o sueco Bo Arne Vibenius, chegou a ser assistente de direção de Ingmar Bergman em PERSONA e em A HORA DO LOBO, mas acabou trilhando o caminho do cinema exploitation, aquele tipo de cinema que que muita gente acha de gosto duvidoso e que quer ganhar as audiências com os excessos. E no caso de THRILLER, põe excesso nisso: o filme não se contenta apenas em ser uma violenta história de vingança, mas ainda traz cenas de sexo explícito e na famosa cena em que a moça tem o seu olho furado, dizem que o diretor utilizou um cadáver e furaram um olho de verdade. Por isso, o efeito é tão realista.

A trama guarda semelhanças com um certo filme de Abel Ferrara, chamado MS. 45 (1981), que infelizmente eu nunca vi. No filme de Ferrara, uma jovem muda é estuprada duas vezes e depois parte para a vingança. Já no filme de Vibenius, a jovem fica muda na infância por causa do trauma de um estupro e quando cresce é raptada por um sujeito que a vicia em heroína para que ela fique dependente dele e se transforme em prostituta e depois ainda tem um de seus olhos furado com uma faca. Esse negócio de furar ou arrancar o olho é sempre algo que me deixa impressionado: me impressionou em KILL BILL, em MINORITY REPORT e em EYES. (Atualmente estou lendo "A Grande Arte", de Rubem Fonseca, que também tem uma cena sobre um sujeito que perde um olho.)

Quem mora em São Paulo, teve a chance de ver o filme na telona do cinema no dia 1º de dezembro, na Sessão Dupla do Comodoro, sessão dedica a filmes extremos organizada pelo Carlão Reichenbach. O DVD foi cedido pelo Leandro para essa exibição. (Esse teu DVD tá rendendo, hein, Leandro? Hehehe)

No DVD, além de vários trailers do filme, tem fotos de Christina Lindberg nua. Belo corpo o da moça. Há também a opção de ver o filme com áudio em sueco ou dublado em inglês. Pena que alguns outros extras não ficaram acessíveis pra mim, talvez por algum problema durante a gravação da mídia. Mas só em ter tido a chance de ver esse filme - ainda considerado raro, já que o DVD americano tem tiragem limitada - já está bom demais.

Nenhum comentário: