segunda-feira, dezembro 27, 2004

A GRANDE SEDUÇÃO (La Grande Séduction)



A GRANDE SEDUÇÃO (2003), do estreante Jean-François Pouliot, pertence àquela leva de filmes sobre grupo de pessoas que se junta para enganar uma outra. Assim como o alemão ADEUS, LÊNIN! e o francês DESDE QUE OTAR PARTIU, esse filme canadense também parte dessa premissa. E o curioso é que os três filmes foram produzidos em 2003. Seria, então, 2003 o ano da mentira em prol de uma causa justa?

A tal causa justa nesse filme é a sobrevivência de uma cidadezinha em vias de se acabar. A comunidade de pouco mais de 100 habitantes sobrevive graças ao seguro-desemprego do governo, já que a atividade pesqueira da região acabou. A solução para eles seria a vinda de uma fábrica para o lugar, mas existem alguns empecilhos para se conseguir essa fábrica: 1) a cidade precisa ter pelo menos mais de 200 habitantes; 2) é preciso uma certa quantia para trazer essa fábrica; e 3) a cidade precisa ter um médico residente.

Para resolver o problema do médico, eles enviam centenas de panfletos tentando atrair a atenção dos médicos de Quebec para a cidade, mas ninguém quer ir morar numa ilha que não tem nada de atraente. Por sorte, o ex-prefeito da cidade, que foi embora por causa da crise e se torna guarda rodoviário, apanha um médico com um pacotinho de cocaína e faz uma negociação com ele - ele trabalharia na tal cidadezinha por um mês em troca de não ser denunciado.

Uma vez conseguido o médico por um mês, o passo seguinte seria fazer com que ele goste da cidade e assine um contrato de 5 anos. O problema é que a cidade é feia, não tem nada de atraente. A graça do filme está na série de tentativas de seduzir o médico. Difícil não soltar alguns risos e até algumas gargalhadas com as situações. A mais engraçada delas é a solução encontrada para disfarçar a casa horrorosa que fica logo na entrada da cidade. As cenas envolvendo o jogo de cricket também são muito boas.

Trata-se de um filme de apelo popular. Na sessão de domingo, no Espaço Unibanco Dragão do Mar, notava-se que as pessoas em geral estavam se divertindo com o filme. O problema é que, assim como aconteceu com ADEUS, LÊNIN! e DESDE QUE OTAR PARTIU, eu achei o filme um tanto tedioso. Comparando com os outros dois filmes, A GRANDE SEDUÇÃO é mais divertido, e o uso da mentira, que tinha me incomodado bastante nos outros filmes, dessa vez não me incomodou nenhum pouco. O filme também guarda semelhança com o inglês OU TUDO OU NADA (1997). É filme sobre uma comunidade em decadência financeira e social que junta esforços para se reerguer, através da criatividade.

A GRANDE SEDUÇÃO foi um grande sucesso de público na parte francesa do Canadá, ultrapassando a bilheteria de blockbusters como MATRIX RELOADED e O SENHOR DOS ANÉIS - AS DUAS TORRES. Foi sucesso também no Festival de Sundance, ganhando o prêmio de Melhor Filme, pelo Voto Popular.

Nenhum comentário: