domingo, dezembro 12, 2004

OS INCRÍVEIS (The Incredibles)



E a Pixar atinge o seu ápice criativo com OS INCRÍVEIS (2004), de Brad Bird. O filme mostra uma família que é uma mistura de Quarteto Fantástico com Simpsons, sendo que a história traz conceito inspirado na graphic novel "Watchmen", de Alan Moore, e ação e música parecidos com MISSÃO IMPOSSÍVEL.

O coquetel é ótimo e, assim como as outras animações da Pixar - exceto talvez MONSTROS S.A., que é mais infantil -, agrada a adultos e crianças. Os adultos que tiverem um passado (ou presente) de leitores de história em quadrinhos terão uma razão a mais para curtir o filme, já que esse filme não existiria se Stan Lee não tivesse criado uma geração de super-heróis com problemas semelhantes ao de pessoas normais.

Assim, temos um Sr. Incrível que herdaria um nome parecido com o Sr. Fantástico, mas teria a força do Coisa; uma Mulher-Elástica que em vez de ficar invisível tem os poderes elásticos do Sr. Fantástico; uma garotinha que tem os poderes da Mulher-Invisível e um garotinho tão sapeca quanto Bart Simpson que corre feito o Flash (da D.C.) ou o Mercúrio (da Marvel). Correndo por fora, tem o bebezinho que a princípio não possui nenhum super-poder. Não sei se os criadores do filme tiveram algum problema com a Marvel ou tiveram que pedir alguma autorização, por causa da grande semelhança com os heróis dessa companhia.

O filme explora os poderes dos quatro Incríveis em cenas de ação tão boas que fica difícil comparar com qualquer outro filme em live action. E tem o lado mais humano deles. O personagem do Sr. Incrível é parecido com muitos de nós, que, impossibilitado de trabalhar fazendo o que gosta, trabalha num lugar que odeia porque precisa de dinheiro. (Sem falar na obesidade que lhe aflige.) Temos a Mulher-Elástica, que como muita mãe e esposa tem que ser muito flexível para dar conta do trabalho de casa, cuidar de toda a família e educar as crianças: um garoto hiper-ativo e uma menina com complexo de rejeição, sentindo-se invisível na escola.

Fiquei com vontade de ver O GIGANTE DE FERRO (1999), a animação anterior de Brad Bird. Dizem que é ótima. O Renato assistiu e ficou bem entusiasmado, falando que o filme provoca lágrimas e risos. Lágrimas OS INCRÍVEIS não provoca, mas dá pra dar umas boas risadas. É de longe o melhor filme de super-heróis do ano. E como o Leandro chegou a comentar: OS INCRÍVEIS deixa os aguardados QUARTETO FANTÁSTICO e WATCHMEN pra trás, de uma vez só.

Nenhum comentário: