segunda-feira, janeiro 12, 2015

GLOBO DE OURO 2015



Dizem que em time que está ganhando não se mexe. Mas a verdade é que isso não é bem verdade. As coisas mudam e por mais que Tina Fey e Amy Poehler sejam uma simpatia, três anos apresentando o Globo de Ouro já é muito pra elas. Elas mesmas já diziam que seria a última vez. Mas o problema não foi bem delas. Foi da direção da cerimônia mesmo, que fez um show de atropelos e no fim ninguém tinha mais tempo para discurso algum. Meio que uma vingança do pessoal da TV, esnobado no discurso delas, ainda que de brincadeira, diante do pessoal do cinema.

Comparei a premiação com quando vamos ao Habib’s e somos obrigados a comer apressados, pois o garçom tira os pratos logo para fazer pressão psicológica para irmos embora. A pressa na entrega dos prêmios do Globo de Ouro deste ano deu essa impressão. Como se aqueles prêmios não valessem nada mesmo, por mais que se veja um ou outro discurso emocionado, como o de Michael Keaton, por exemplo.

No fim das contas, tanto o Globo de Ouro quanto o Oscar me servem mais para apreciar as belas da festa. Este ano, por exemplo, não pude deixar de notar o quão linda estava Jessica Chastain, indicada por O ANO MAIS VIOLENTO, mas que perdeu o prêmio para Patricia Arquette, do grande vencedor da noite, BOYHOOD – DA INFÂNCIA À JUVENTUDE. Outras beldades que se destacaram: Katherine Heigl, Amy Adams e Jennifer Lopez, essa última mais por causa de um decote matador (ela é ótima nisso).

Quanto à preferência da imprensa estrangeira em Hollywood por BOYHOOD, isso se deve tanto ao fato de o filme ter ganhado vários prêmios de crítica e em festivais também, como o fato de que seus concorrentes não eram suficientemente fortes. No fim das contas, acabou sendo bom para a premiação, que escolheu um filme mais alternativo. Provavelmente isso se repetirá no Oscar. Vamos ver.

Com relação às surpresas, a maior delas foi mesmo O GRANDE HOTEL BUDAPESTE ganhar o prêmio de melhor filme/comédia, passando por cima do favorito, BIRDMAN. O desajeitado Wes Anderson subiu com toda a sua trupe lá pra cima. Não há como negar que ele tem personalidade. Quanto à homenagem especial a George Clooney, não teve nada demais. Um clipe com alguns filmes, a já carismática persona do astro e o fato de ele estar casado e só.

Quanto às premiações para a televisão, três shows se destacaram: THE AFFAIR, em sua primeira temporada, ganhando série/drama e atriz; TRANSPARENT, ganhando série/comédia e ator; e FARGO, ganhando minissérie ou telefilme e ator. FARGO, aliás, surpreendeu, diante do até então favorito TRUE DETECTIVE. Mas ambas são ótimas, sendo que FARGO é mais bem resolvida, mais redonda. Outra surpresa da televisão foi a escolha de uma atriz pouco conhecida e uma série nova, Gina Rodriguez, de JANE THE VIRGIN, ganhou melhor atriz de musical ou comédia.

Melhores momentos da noite: Ricky Gervais, que já foi apresentador da premiação, usando seu tempo para fazer comédia; e o mesmo para a dupla de THE SKELETON TWINS, Kristen Wiig e Bill Hader. Bem que poderiam ser bons nomes como apresentadores da próxima edição.



Prêmios da noite

Cinema

Melhor Filme (Drama): BOYHOOD – DA INFÂNCIA À JUVENTUDE
Melhor Filme (Comédia/Musical): O GRANDE HOTEL BUDAPESTE
Melhor Direção: Richard Linklater (BOYHOOD – DA INFÂNCIA À JUVENTUDE)
Melhor Ator (Drama): Eddie Redmayne (A TEORIA DE TUDO)
Melhor Ator (Comédia/Musical): Michael Keaton (BIRDMAN)
Melhor Atriz (Drama): Julianne Moore (PARA SEMPRE ALICE)
Melhor Atriz (Comédia/Musical): Amy Adams (GRANDES OLHOS)
Melhor Ator Coadjuvante: J. K. Simmons (WHIPLASH – EM BUSCA DA PERFEIÇÃO)
Melhor Atriz Coadjuvante: Patricia Arquette (BOYHOOD – DA INFÂNCIA À JUVENTUDE)
Melhor Roteiro: Alejandro González Iñárritu (BIRDMAN)
Melhor Trilha Sonora: Johann Johannsson (A TEORIA DE TUDO)
Melhor Canção Original: John Legend e Common por "Glory" (SELMA)
Melhor Animação: COMO TREINAR SEU DRAGÃO 2
Melhor Filme Estrangeiro: LEVIATÃ (Rússia)

Televisão

Melhor Série (Drama): THE AFFAIR
Melhor Série (Comédia/Musical): TRANSPARENT
Melhor Minissérie ou Telefilme: FARGO
Melhor Ator de Série (Drama): Kevin Spacey (HOUSE OF CARDS)
Melhor Ator de Série (Comédia): Jeffrey Tambor (TRANSPARENT)
Melhor Ator em Minissérie ou Telefilme: Billy Bob Thornton (FARGO)
Melhor Atriz de Série (Drama): Ruth Wilson (THE AFFAIR)
Melhor Atriz de Série (Comédia): Gina Rodriguez (JANE THE VIRGIN)
Melhor Atriz em Minissérie ou Telefilme: Maggie Gyllenhaal (THE HONORABLE WOMAN)
Melhor Ator Coadjuvante em Série, Minissérie ou Telefilme: Matt Bomer (THE NORMAL HEART)
Melhor Atriz Coadjuvante em Série, Minissérie ou Telefilme: Joanne Froggatt (DOWNTON ABBEY)

Nenhum comentário: