quarta-feira, junho 17, 2009

MONSTROS VS ALIENÍGENAS (Monsters vs Aliens)



Não sei o que me aconteceu no dia que fui ver MONSTROS VS ALIENÍGENAS (2009), há quase três semanas. Desde a inauguração da sala 3D em Fortaleza que o filme era a minha primeira opção para a apreciação da nova tecnologia. Felizmente eu comecei com o pé direito, com o musical U2 3D, já que mais uma vez uma animação da Dreamworks não me agrada. Pior: eu senti náuseas e acabei ficando doente o dia inteiro, sem disposição para fazer mais nada. Talvez o filme tenha me pegado num dia em que não estava com minhas defesas muito boas e com crise de labirintite. Talvez eu tenha comido alguma coisa no almoço que potencializou esse mal estar, associado aos efeitos visuais e o uso dos óculos especiais. Por causa disso, não devo voltar a ver um filme em 3D tão cedo. Só quando eu julgar importante. E de preferência levarei um pouco de sal de fruta pra tomar com água.

Tinha me recusado a ver MONSTROS VS ALIENÍGENAS nas salas convencionais, já que só tinha chegado cópia dublada aqui e um dos atrativos do filme para mim era poder ouvir as vozes de Hugh Laurie, Seth Rogen, Reese Witherspon, Kiefer Sutherland e Rainn Wilson. Aliás, um dos principais méritos dessas animações da Dreamworks é a dublagem original. Desde FORMIGUINHAZ (1998), que contava com a voz de Woody Allen, passando por BEE MOVIE (2007), que trouxe Jerry Seinfeld, que os desenhos da companhia se caracterizaram por ter esse diferencial de luxo. Mas apesar de todas essas participações especiais, a animação da Dreamworks nunca chegou a ter a excelência e a graça das produções de sua grande rival, a Pixar. Eu, particularmente por odiar SHREK (2001), acabei ficando cismado com os filmes da companhia. Todas as animações que vi da Dreamworks me parecem excessivamente desleixadas e descompromissadas, o que faz com que eu fique sem a menor empolgação. Em geral, os filmes me dão sono, por mais que tenha um verniz luxuoso. É o caso de lixo embrulhado com papel de presente.

Aparentemente, a intenção de MONSTROS VS ALIENÍGENAS é fazer uma homenagem aos filmes de monstro e de ficção científica dos anos 50, mas o resultado final não foi dos mais felizes. O formato da trama é de sessões da tarde tradicionais, com muita ação, muito barulho e um clímax convencional. O filme até que começa bem, mostrando os preparativos para o casamento da jovem que devido a um contato com um meteorito cresce na altura de quinze metros. Ela é capturada pelos militares, que a deixam presa num local cheio de monstros. Ela e os seus amigos monstros serão as armas secretas dos americanos para conter o ataque de um robô alienígena. Mais chato do que a moça e os amigos monstros, só mesmo o líder anienígena cabeçudo. Foram quinze reais mais despesas com estacionamento, alimentação e combustível que poderiam ter sido melhor utilizados. Mais sorte na próxima vez.

Nenhum comentário: