sexta-feira, março 27, 2009

SEX DRIVE - RUMO AO SEXO (Sex Drive)



Como diz o ditado popular: "há males que vem para o bem". No feriado de São José, no último dia 19, quando eu me preparava para ver SEX DRIVE – RUMO AO SEXO (2008) no cinema, fiquei acometido de dores no corpo e febre e acabei não ficando com disposição para sair de casa. Mas minha irmã tinha conseguido uma cópia do filme em divx e a sorte é que é uma versão uncut, quer dizer, com mais cenas que a versão "oficial" e com muito mais nudez. Inclusive, essa versão conta com uma apresentação impagável do diretor e do produtor do filme (ambos, roteiristas), que pode assustar as alas mais conservadoras da sociedade. Essa apresentação já prepara o público para o que virá.

Há uma semelhança com as comédias da turma de Judd Apatow e Seth Rogen, que foram meio que os pioneiros nesse retorno da comédia erótica, tão em voga nos anos 80. Essas comédias voltaram renovadas e até mais ousadas no quesito sexo, nudez e palavrões. Não sei se a versão disponibilizada nos cinemas mostra closes da genitália masculina, por exemplo. Mas se o filme tem que agradar também a platéia feminina, talvez esse seja o caminho. Ou não, já que não dá para prever como uma mulher vai reagir a determinadas coisas. E também não dá pra generalizar, claro.

SEX DRIVE tem uma enredo bem simples: rapaz virgem de 18 anos "rouba emprestado" o carro do irmão homofóbico (James Marsden) e segue com o amigo mulherengo e sua melhor amiga (na verdade, sua paixão platônica) para encontrar em uma outra cidade uma garota que ele conheceu pela internet. O objetivo principal da viagem é tirar a virgindade do garoto, mas como todo bom road movie, a viagem representa uma mudança nos rumos das vidas dos protagonistas.

Há uma semelhança com CAINDO NA ESTRADA, subestimada e divertida comédia estradeira, que tem a antológica cena do velho de pau duro. Em SEX DRIVE, tem uma cena que rivaliza: enquanto esperam o amigo mulherengo, que está no quarto fazendo sexo selvagem com uma mulher casada, o casal de amigos tem que "apreciar" o saco escrotal do velho de bermuda. É o humor grosseiro que chega para rir e incomodar. Mas comparando com CAINDO NA ESTRADA, SEX DRIVE é melhor. Mesmo nessa versão uncut, que deve ser menos redonda que a versão para cinema.

Apesar das piadas um pouco pesadas e da temática exclusivamente sexual, o filme tem o seu lado terno de comédia romântica, tanto ao explorar o relacionamento do casal de pombinhos da viagem quanto do amigo mulherengo, que se apaixona por uma moça amish. Aliás, a festa amish está entre os momentos mais engraçados do filme. E Seth Green como o mecânico amish sacaneador está ótimo. Mas nada como a cena da urina no radiador. E o filme ainda reserva para o final a presença memorável da gatíssima Katrina Bowden, conhecida de quem assiste 30 ROCK. SEX DRIVE é só alegria.

Nenhum comentário: