segunda-feira, março 16, 2009

FAMÍLIA SOPRANO – A SEGUNDA TEMPORADA COMPLETA (The Sopranos – The Complete Second Season)



E depois de um longo tempo depois que assisti a primeira temporada de FAMÍLIA SOPRANO, finalmente pude dar continuidade à aclamada série. Se a primeira temporada não me conquistou de imediato, o mesmo não posso dizer da segunda (2000), que me pegou de jeito e me deixou mais familiarizado com os personagens. No início, eu não me identificava nem gostava dos personagens, mal encarados, barrigudos e iletrados. A única exceção era o grande protagonista da série, Tony Soprano, interpretado com toque de gênio por James Gandolfini. Podemos dizer que a primeira temporada foi apenas um preparativo para o que viria. A segunda representa um grande salto qualitativo para a série, seja na originalidade com que os episódios são desenvolvidos, seja pelo impacto de algumas cenas, seja pelo modo como nos envolvemos com os personagens e seus problemas.

No final da primeira temporada, o suposto chefe da máfia italiana de New Jersey, Junior, está preso, deixando o terreno livre para o líder de fato da famiglia, Tony. O rotundo Pussy retorna de seu misterioso sumiço e logo descobrimos que ele é um "rat", isto é, ele está trabalhando às escondidas com o FBI para pegar Tony. Mas as coisas não são tão simples assim e ora Pussy parece estar enrolando os federais e do lado de Tony, ora parece até um agente do FBI. Apesar de tudo, toda essa situação me fez simpatizar com Pussy. Quem é o grande vilão da temporada é Richie Aprile, esse sim é um sujeito detestável. Age com violência para demarcar território e representa uma enorme pedra no sapato de Tony. Assim que retorna da prisão, depois de dez anos, ele deixa paralítico um pobre comerciante que se recusa a lhe pagar um dinheiro regularmente, atropelando-o com violência. É a partir desse momento que aprendemos a odiar Richie Aprile. Quem também retorna para a vida dos Sopranos é Janice, a irmã de Tony, que acaba por reiniciar um antigo relacionamento com Richie. Enquanto isso, Tony continua sofrendo de alterações de humor, depressão e ataques de pânico. Sua psiquiatra, Dra. Melfi, depois de ter passado por maus bocados na temporada passada, resolveu cortar os laços com Tony, por razões óbvias. A situação é temporária e logo a Dra. Melfi estará recebendo regularmente Tony para novas sessões, ainda que isso lhe custe a sua estabilidade emocional. Por isso, ela mesma vê também um terapeuta, interpretado no filme pelo cineasta Peter Bogdanovich.

Não esqueçamos de Christopher, o mais jovem dos membros da famiglia criminosa de Tony Soprano, que está tentando às escondidas a carreira de ator. Um dos episódios mais interessantes da temporada, aliás, envolve Christopher se relacionando com uma produtora de cinema. Christopher mais tarde novamente chamará a atenção dos holofotes, ao ser alvo de uma tentativa de homicídio. Mas mesmo quando a série dá mais ênfase a determinado personagem, quem ganha merecidamente mais a atenção é Tony, com seu jeito carismático e seu código de ética todo próprio. Mesmo praticando as maiores barbaridades, difícil não ficar do seu lado em todas as situações. Mais até do que com Michael Corleone, de O PODEROSO CHEFÃO, filme que é bastante citado quando Tony, Paulie e Christopher fazem uma viagem à Itália e comentam várias vezes sobre o clássico de Coppola.

Difícil falar da temporada inteira num único post, tentar resumi-la em poucas palavras, já que cada episódio tem a sua importância e a sua cara. Mas se tivesse que escolher um dos episódios como favorito, com certeza ficaria com o penúltimo (décimo segundo), onde se fecha a situação complicada entre Tony e Richie e temos uma surpresa com Janice. Mas o último episódio é também especial, tendo até um quê de TWIN PEAKS, já que boa parte de sua duração é composta de delírios de Tony, depois de uma intoxicação alimentar. E se o último episódio remete à saudosa série de David Lynch e Mark Frost, o episódio "The Leather Jacket" me fez lembrar SEINFELD, tanto pelo título começando com "the" quanto pela situação aparentemente banal – o fato de Richie presentear Tony com uma jaqueta de couro que foi de um antigo inimigo da família.

Ainda assim, ver apenas duas temporadas de uma série tão importante talvez ainda não ofereça a dimensão da importância e do valor de FAMÍLIA SOPRANO. Por isso, já estou providenciando a terceira. Espero não fazer um intervalo tão grande entre uma temporada e outra novamente.

Nenhum comentário: