quarta-feira, novembro 09, 2005

FASCINAÇÃO (Fascination)



Interessante notar que os vampiros homens são meio impotentes. (Até li um texto sobre vampiros, chamado "Vampiro - A Máscara", que dizia isso). Há sensualidade neles, mas não parece haver relação sexual de fato entre eles e suas vítimas. O interesse deles está apenas no sangue. Já as vampiras fêmeas, como pode ser notado em filmes como VAMPYROS LESBOS, de Jesus Franco, FOME DE VIVER, de Tony Scott, e este FASCINAÇÃO (1979), de Jean Rollin, sempre que podem, dão umazinha, não fazendo distinção de sexo. As vampiras fêmeas funcionam como uma espécie de fetiche, razão pela qual alguns diretores sacanas gostam de botar um monte de mulher pelada se pegando sob o pretexto de que são vampiras.

FASCINAÇÃO é o meu primeiro Rollin. A comparação com VAMPYROS LESBOS pode se dar mais pelo uso da nudez e da sensualidade das atrizes do que pelo estilo de direção. Acho o filme de Franco muito mais charmoso, além de ter uma atriz belíssima (a maravilhosa Soledad Miranda), mas é bastante confuso no quesito história. É um filme de atmosfera. Já o filme de Rollin, é mais clássico narrativo, bem fácil de acompanhar.

Na trama de FASCINAÇÃO, ladrão foge de seus inimigos e se abriga num castelo onde habitam duas belas moças que haviam sido mostradas no início do filme bebendo sangue de boi, sob a desculpa de que é para se tratar de anemia. No início, o ladrão se acha dono da situação - é homem e está armado -, mas as meninas parecem se divertir tanto com a sua presença, preferindo que ele fique para a festa que acontecerá à noite, no qual ele seria o prato principal, que ele acha tudo muito divertido e prefere ficar para ver no que vai dar.

O legal de FASCINAÇÃO é que não se trata de um filme convencional de vampiros, desses em que as vampiras não podem ver o sol nem crucifixos. Na verdade, ele não se parece com um filme de terror até os minutos finais. Está mais pra pornô softcore, abusando de cenas de nudez, de roupas transparentes e dos beijos entre mulheres. Brigitte Lahaie, uma das atrizes principais, inclusive, é veterana de produções pornográficas francesas. Curiosamente, ela está presente em CALVAIRE (2004), de Fabrice Du Welz, filme que eu baixei recentemente por indicação de Fábio Ribeiro. Qualquer dia eu vejo e conto pra vocês.

Agradecimentos a Davi Pinheiro que me forneceu uma cópia do filme, em Divx.

Nenhum comentário: