quinta-feira, novembro 10, 2005

CÃO DE BRIGA (Danny the Dog / Unleashed)



É sempre bom quando a gente sai do cinema surpreendido positivamente com um filme que recebeu críticas pouco elogiosas. CÃO DE BRIGA (2005) é, de longe, o melhor filme protagonizado por Jet Li no ocidente. Melhor até do que BEIJO DO DRAGÃO (2001). Ambos os filmes, aliás, foram produzidos por Luc Besson. São obras de excelente qualidade técnica, bela fotografia e que tem o intuito de conquistar o mercado internacional, daí a preferência pela língua inglesa e o apoio de atores americanos. O filme é uma co-produção França-EUA-Inglaterra.

CÃO DE BRIGA conta a história de Danny (Jet Li), um homem que foi criado desde criança como um cachorro. Ele foi treinado para arrasar quem estiver em sua frente sempre que tirar a coleira, e ao comando de seu dono, um gângster interpretado por Bob Hoskins. Do jeito que Hoskins é pintado no filme não temos outra opção a não ser odiá-lo pelo que ele fez com Danny, que só recebe um tratamento de respeito quando encontra casualmente um homem cego (Morgan Freeman) consertador de pianos. Depois de um acidente, esse homem o leva para casa, cuida de suas feridas e o trata como um filho. Ele vive sozinho com a jovem Victoria (Kerry Condon). É no novo lar que Danny aprenderá a viver como gente normal, a ser tratado com carinho e a questionar suas origens.

Toda essa premissa me deixava com um pé atrás, mas o negócio é aceitar o filme como ele é: um misto de filme de ação com melodrama, sem nenhuma intenção de ser uma obra realista. Gostei muito do aspecto melodramático do filme. Achei emocionante. E é isso que sustenta a ação, que dá sentido ao filme, especialmente quando Danny reencontra, lá pelo final, o malvado Hoskins. Inclusive, as melhores cenas de luta acontecem justamente após a "iluminação" de Danny, e não antes, quando podemos compartilhar do ódio e do sentimento de revolta do personagem. As coreografias ficaram a cargo do famoso Yuen Woo Ping.

Uma das melhores coisas do filme é a trilha sonora, a cargo de ninguém menos que o Massive Attack, que encerra o filme com uma bela canção ("Aftersun"). Ouvir o trip hop do grupo no cinema é uma maravilha. Aqueles graves parece que tocam a nossa pele.

Soube através do blog do Heráclito, o Blog da Desforra (um dos favoritos da casa), que CÃO DE BRIGA guarda muitas semelhanças com um western inglês chamado DUAS PÁTRIAS PARA UM BANDIDO. A história dos dois filmes é bem parecida. Fiquei curioso pra ver o filme inglês.

Nenhum comentário: