quarta-feira, abril 19, 2006

NASCIDO PARA LUTAR (Kerd Ma Lui / Born to Fight)



Quando um amigo meu me falou que estava de posse de uma cópia em DVD de NASCIDO PARA LUTAR (2004), eu falei: "rapaz, traz esse negócio pra eu ver." Já tinha ouvido falar que era um troço inacreditável (pelos comentários do Diogenes na Canibal e pelos blogs do André e do Renato), mas não tinha noção do quanto. A seqüência inicial é de cair o queixo, já que os atores/dublês despencam de cima dos caminhões em alta velocidade sem medo de quebrarem todos os ossos do corpo. Só vendo pra crer. Imagino o quanto esse povo deve ter sofrido pra fazer esse filme. Deixa os filmes da série POLICE STORY, do Jackie Chan, parecerem bricandeira de criança.

A história é simples, meio ridícula até, mas é bem envolvente: policial (Dan Chupong) prende um chefão de contrabando numa operação que custou a vida de seu parceiro. A fim de relaxar um pouco depois do trauma recente, ele viaja com a irmã, uma ginasta que vai participar de uma missão humanitária junto com outros atletas num vilarejo pobre do interior. As coisas vão bem até que, sem mais nem menos, um grupo de homens armados massacra a população do vilarejo e fica com o restante como refém. Eles querem que o seu líder, o chefão que o protagonista havia prendido no começo do filme, seja libertado. Caso contrário, eles lançarão mísseis nucleares sobre a capital. O legal é que na hora que os bandidos deixam tocar o hino da Tailândia nos megafones, os reféns, sentindo-se envolvidos pelo espírito patriótico, começam a cantar juntos o hino e decidem lutar, ainda que sem armas, contra os vilões. É preciso haver um sacrifício para que as vidas de mais pessoas sejam poupadas. Poucas vezes eu vi um sentimento patriótico mostrado de maneira tão bonita quanto nesse filme. E olha que é um filme que nem dá pra se levar muito a sério.

NASCIDO PARA LUTAR é estrelado basicamente por campeões olímpicos tailandeses. Os momentos ridículos do filme ficam por conta de alguns figurantes nas cenas de luta dos aldeões e dos ginastas contra os malvados vilões. Em alguns momentos, além da utilização de câmera lenta, há também replays. Fica engraçado ver replays nas cenas em que um jogador de futebol chuta bolas pesadas na cabeça de seus inimigos, utilizando suas habilidades futebolísticas.

Interessante notar que a Tailândia tem uma cinematografia até que bastante diversa, a julgar pelos exemplares que têm pintado por aqui recentemente. Além de vir de lá um dos filmes de arte mais incensados dos últimos tempos (MAL DOS TRÓPICOS), não custa lembrar que o filme de terror mais assustador do ano (ESPÍRITOS - A MORTE ESTÁ AO SEU LADO) também veio de lá. No território da porradaria, além desse NASCIDO PARA LUTAR, tem nas locadoras pra alugar ONG-BAK: GUERREIRO SAGRADO (2003), que dizem também ser muito bom. É melhor o pessoal de Hong Kong tomar cuidado, senão daqui a pouco os tailandeses vão tomar o cinturão de ouro deles de reis do cinema de ação.

P.S.: Recebi hoje a nova Paisà. Ainda não terminei de ler, claro, mas dei uma folheada e li o comecinho. Parece estar excelente.

Nenhum comentário: