segunda-feira, março 20, 2006

FALCÃO - MENINOS DO TRÁFICO



Depois de três anos de espera, finalmente o Fantástico exibiu o documentário FALCÃO - MENINOS DO TRÁFICO (58 min, 2003), de MV Bill e Celso Athayde. Espero que depois dessa exibição não aconteça nada de mal com os diretores do filme, tão preocupados com essas questões sociais que têm transformado o Brasil num país em guerra civil. Em agosto de 2003, esse documentário estava pronto para ser exibido e de uma hora para a outra os seus autores desautorizaram a veiculação por motivos "de foro íntimo". Não sei se isso ocorreu por causa de ameaças dos traficantes ou por desacertos na edição, feita pelo pessoal da Rede Globo.

Passado todo esse tempo, eis que o Fantástico exibe o documentário, que mostra a triste vida de meninos que trabalham no tráfico de drogas no Rio de Janeiro. O documentário foi exibido em três blocos. Algumas coisas mostradas já foram vistas em um ou outro programa jornalístico, mas o documentário é diferente principalmente por ter sido realizado por pessoas de dentro da favela. O que eu achei mais surpreendente foi a parte que mostra uma brincadeira dos meninos. Eles brincam com o seu próprio cotidiano de violência, como nas brincadeiras de polícia e bandido. Nessa cena, eles fazem uma interpretação de um garoto que é pego por entregar os amigos para a polícia e é jogado num buraco depois de levar vários tiros. Coincidentemente, na hora que eles estão brincando uma execução de verdade acontece ali perto. A polícia também é mostrada como contribuinte dessa realidade.

A vida dos jovens envolvidos no tráfico é muito curta. Pra se ter uma idéia, dos 16 jovens apresentados no filme, apenas um deles estava vivo no final das filmagens. O "falcão" do título é o garoto que fica com um fuzil e um radiotransmissor vigiando e tomando de conta da favela. Esse menino troca a noite pelo dia. Uma das últimas pessoas mostradas no filme é um rapaz que ficou paralítico depois de levar um tiro e hoje vive resignado em sua cadeira de rodas, tendo abandonado a vida de crime depois de ter passado cinco anos na cadeia. Tocante também o caso do garoto que queria ser palhaço. Sua mãe havia lhe prometido levá-lo para o circo, mas ela já havia morrido. Em vez disso, ele estava ali com uma arma na mão, pronto para matar ou morrer.

Foi importante esse documentário ter sido veiculado num programa de grande alcance como o Fantástico. Se fosse exibido nos cinemas, pouca gente teria assistido. Segundo noticiado, hoje acontecerá o lançamento do livro "Falcão - Meninos do Tráfico", sobre os bastidores das filmagens.

Pra terminar, as últimas palavras de MV Bill no documentário: "Eu não sei exatamente qual o papel desse documentário. Solucionar eu tenho certeza de que não é. Mas é mais um instrumento para ajudar a pensar, repensar as leis dentro do Brasil, para que as pessoas discutam e vejam se é esse mesmo o Brasil que a gente quer. Ou a gente tem um Brasil só ou tem dois Brasis. E parece que estão cuidando mais de um e esquecendo do outro. Só que o outro tá crescendo e se transformando num monstro. Onde nós já perdemos o controle. Tá engolindo todo mundo."

Nenhum comentário: