quinta-feira, março 09, 2006

ESTA MULHER É PROIBIDA (This Property Is Condemned)



O motivo de eu ter alugado ESTA MULHER É PROIBIDA (1966) foi para ver a beleza e o encanto de Natalie Wood, atriz que eu considero uma das mais belas do cinema. O filme é o segundo longa-metragem da carreira de Sydney Pollack e com certeza um de seus melhores trabalhos. O primeiro havia sido UMA VIDA EM SUSPENSE (1965). Interessante que na época que eu escrevi sobre A INTÉRPRETE (2005) vários colegas comentaram apreciar alguns filmes de Pollack. Ainda suspeito que o seu melhor filme seja mesmo MAIS FORTE QUE A VINGANÇA (1972). ESTA MULHER É PROIBIDA representa a primeira parceria de Pollack com Robert Redford que trabalhariam juntos em mais seis filmes.

Na trama, Natalie Wood é uma jovem desejada por todos os homens de uma pequena cidade. Um dia aparece um forasteiro (Robert Redford) por quem ela se apaixona. O forasteiro vai mudar a rotina de todos nessa cidade. Charles Bronson também está no elenco, como coadjuvante. Outros dois nomes de peso nos créditos do filme: o lendário diretor de fotografia James Wong Howe e Francis Ford Coppola assinando o roteiro. O filme é baseado numa peça de Tennessee Williams, dramaturgo com uma característica muito forte. A semelhança desse com filmes como UMA RUA CHAMADA DESEJO, de Elia Kazan, DE REPENTE, NO ÚLTIMO VERÃO, de Joseph L. Mankiewicz, e GATA EM TETO DE ZINCO QUENTE, de Richard Brooks, é muito grande. Todos apresentam personagens falastrões e com um certo gosto por bebidas alcóolicas.

A cena em que Natalie toma o amante de sua mãe é uma das melhores do filme, assim como aquela em que ela parte em busca de Redford. Pena que o final seja tão brusco, dando a impressão que as filmagens foram interrompidas antes do tempo. O que se conta é que durante as filmagens, Natalie tentou cometer suicídio. Isso pode ter afetado de alguma maneira a finalização do filme. Natalie era uma dessas mulheres lindas e malditas, com uma história trágica de vida e que termina de maneira incomum. Outra curiosidade de bastidores é que na cena em que ela ficava bêbada no bar, ela realmente havia bebido muito.

O DVD da Paramount vem pelado de extras, mas felizmente a fotografia de James Wong Howe está intacta, em widescreen.

Nenhum comentário: