domingo, maio 08, 2005

ATÉ QUE NÃO SÃO (TÃO) RUINS 3



Esse final de semana que está acabando não foi dos melhores. Acho que o meu trabalho, que anda em ritmo e intensidade hardcore, tem sugado minha energia. Fiquei mal da garganta (pra variar) e estou com indisposição e dor no corpo. Ontem teve mais um show do Los Hermanos por aqui, mas nem me animei pra ir. Nem coragem pra ir ao cinema eu tive hoje. Pelo menos eu fiquei em casa e vi um filmão. Mas não é dele que eu vou falar agora. Ao contrário: o dia hoje é pra falar de filmes não muito animadores. Se bem que um deles é até animador, se é que vocês me entendem, mas entrou no "pacote" por ser facilmente esnobado pelo público intelectual, só porque tem a Britney Spears.

SOMETHING WICKED THIS WAY COMES

Poderia ter sido um filmão. Direção de Jack Clayton, cineasta do clássico OS INOCENTES (1961); baseado num livro de Ray Bradbury, o cara que escreveu Farenheit 451 e que é considerado um dez maiores autores da literatura de ficção científica, de acordo com lista do caderno Mais! da Folha de São Paulo de hoje; e com um elenco dos bons: Jason Robards, Jonathan Price, Diane Ladd e Pam Grier. Pena que o filme faz parte daquela leva da Disney, do tempo em que a produtora fazia filmes de terror light para as crianças. Por isso, SOMETHING WICKED THIS WAY COMES (1983) não assusta e nem empolga. Acho que até as crianças de hoje iriam achar o filme fraco. Alguns desenhos da Disney (Peter Pan, A Bela Adormecida, Pinóquio) são bem mais impressionáveis e aterrorizantes que esse filme. Que envelheceu bastante, assim como os efeitos especiais. Na história, um circo diabólico chega pra assombrar a vida de uma pequena cidade. Eles oferecem a realização dos desejos das pessoas, mas o preço que eles cobram pra isso é muito grande. Gravado da TNT.

CROSSROADS - AMIGAS PARA SEMPRE (Crossroads)

Qualquer filme que mostre a Britney Spears de roupa de baixo dançando uma música da Madonna ("Open your Heart to Me") já é o suficiente pra que mereça uma espiada. Devo dizer que aquela cena ali me pegou desprevenido. Deviam ter avisado, quase morro do coração. CROSSROADS (2002) é um filme bobinho, mas que tem suas qualidades. Britney Spears além de linda e gostosa, desempenha o seu papel muito bem. E eu gosto da canção que toca no final - "Overprotected". De ator mais conhecido no filme, tem o Dan Aykroyd como o pai dela e Kim Cattral como a mãe, mas who cares? Tirando a força da Britney, o filme se sustenta bem por ser um road movie com jovens, o que geralmente garante um clima alto astral. Acho que se um dia dirigisse um filme, provavelmente seria um road movie. Garantiria pelo menos a diversão. E eu não iria fazer como o Vincent Gallo em THE BROWN BUNNY. Por falar em coelhinho marrom, dêem uma olhada nas fotos da Britney tiradas da cena que eu citei. Gravado da FOX.

DOGMA DO AMOR (It's All About Love)

Foi uma decepção geral. Todos estavam curiosos pra ver o novo trabalho do diretor de FESTA DE FAMÍLIA (1998), o primeiro filme da série Dogma-95. Infelizmente, Thomas Vinterberg não vingou e DOGMA DO AMOR (2003) é um desses filmes realmente difíceis de aturar. Agüentar até o final é um ato heróico. Nas entrevistas constantes do DVD dá pra notar que o pessoal do elenco (Joaquin Phoenix, Claire Danes) elogiam o filme, mas com frieza, como se estivessem apenas sendo burocráticos, ajudando a vender o produto. Não lembro se Sean Penn chega a falar nessas entrevistas do DVD. A história até que tem um ponto de partida interessante, onde, num futuro indefinido, milhares de pessoas morrem do coração pelas ruas. O filme tem uma trama meio esquisita sobre clones, misturada com a história de amor de Phoenix e Claire. Ela é uma estrela do esqui no gelo; ele vai visitá-la para que ela assine os papéis do divórcio. Mas o amor dos dois renasce. Lendo assim, até parece interessante, mas o filme é tão frio quanto o mundo onde eles vivem e quanto o rinque de patinação de Claire. Pelo menos a fotografia do filme é ótima e o DVD preserva o formato scope.

Nenhum comentário: