sábado, agosto 02, 2014

TRÊS FILMES SUL-AMERICANOS



Sei que ainda é muito pouca a quantidade de filmes latino-americanos que aportam em nosso circuito, mas pelo menos este ano estamos tendo alguns exemplares interessantes vindos de alguns países hermanos. Aqui falo muito rapidamente sobre filmes vindos do Chile, do Paraguai e da Argentina, respectivamente. Pouco tempo atrás escrevi sobre o ótimo PELO MALO, da Venezuela, por enquanto meu favorito do ano dentro dessa "categoria". Muito provavelmente por algum preconceito bobo, confesso que não sou o espectador mais entusiasmado pelo cinema produzido nos demais países da América Latina. Tenho muita boa vontade em relação aos filmes brasileiros, inclusive os ruins, mas os filmes dos nossos países vizinhos precisam me conquistar.

GLORIA 

Eis um filme que tem certa elegância, mas que justamente por essa característica, e pelo fato de tratar da história de uma mulher de meia-idade sozinha que tenta aproveitar a vida ao máximo que GLÓRIA (2013), de Sebastián Lelio, parece um tipo de produção muito específica a um tipo de espectador da "melhor idade" que costuma frequentar algumas salas de arte à procura de filmes agradáveis. Tudo bem que há uma certa amargura na história dessa mulher que está perdendo a visão mas não para de sorrir e que começa uma nova fase ao namorar um homem mais velho que ela, mas isso não é suficiente para torná-lo suficientemente bom. A ambientação do filme é bastante clean, destacando um tipo de sociedade economicamente mais abastada do Chile. O final pode parecer muito divertido para alguns, mas pra mim não passa de uma bobagem.

7 CAIXAS (7 Cajas) 

Ao contrário de GLÓRIA, o paraguaio 7 CAIXAS (2012), de Juan Carlos Maneglia e Tana Schembori, parece herdeiro de CIDADE DE DEUS e prefere apostar na pobreza do país, mais especificamente em um grupo de garotos que trabalham de carregar as compras para turistas em carrinhos de madeira. Aos poucos, vemos que o filme sai do registro do drama e passa para o thriller, usando uma câmera nervosa. Na trama, garoto recebe a chance de ganhar um bom dinheiro para carregar sete caixas. O que ele não sabe é que o conteúdo dessas caixas é bem sinistro, fruto de um assassinato cometido em um açougue. 7 CAIXAS é também divertido se visto com bom humor pelo espectador. Como o filme se situa num único ambiente e é cercado por personagens bem pobres, fica a impressão de que aquilo é um retrato abrangente do Paraguai, que assim como o Brasil deve também ter suas classes abastadas.

CORAÇÃO DE LEÃO - O AMOR NÃO TEM TAMANHO (Corazón de León) 

Esta comédia argentina (com coprodução brasileira) faz mais bonito que as nossas globochanchadas, mas ainda não é suficientemente boa, apostando na mesma piada o filme inteiro e quase não acertando em suas sequências dramáticas. CORAÇÃO DE LEÃO – O AMOR NÃO TEM TAMANHO (2013), de Marcos Carnevele, conta a história de uma mulher bonita e alta (Julieta Díaz) que se apaixona por um homem de estatura muito baixa (Guillermo Francella). O personagem não chega a ser exatamente um anão, mas teve problemas de crescimento e compensa isso com seu charme e sua lábia para levar as mulheres a lugares inusitados. É assim que ele conquista o coração de Ivana (Julieta), que, no entanto, se vê perturbada com sentimentos contraditórios, pois tem vergonha de apresentar aquele homem pequeno aos amigos e familiares. Há uma série de gags envolvendo a estatura de León (Francella), que até cansam um pouco, mas o filme melhora um pouco quando muda para o registro dramático. Mesmo assim, não chega a emocionar.

Nenhum comentário: