segunda-feira, fevereiro 25, 2013

OSCAR 2013



A 85ª cerimônia dos prêmios da Academia foi marcada principalmente por muita música. Foi um retorno às apresentações musicais, que haviam sido limadas das edições passadas. Como boa parte dos indicados à categoria era de canções chatas e caretas, a hora das canções costumava ser aquele momento em que o espectador saía para tomar uma água e ir ao banheiro. Mas este ano foi diferente, pois desperdiçar Adele cantando “Skyfall” seria uma perda e tanto. E a organização acertou, pois a apresentação da cantora acabou sendo o momento mais bonito da festa.

As cantorias se seguiram logo após a a homenagem aos 50 anos de James Bond (que mostrou um clipe bem fraco) com uma apresentação de Shirley Bassey cantando “Goldfinger” (de 007 CONTRA GOLDFINGER). Depois, logo após o In Memoriam, tivemos uma apresentação de Barbra Streisand cantando "The way we were", do filme NOSSO AMOR DE ONTEM (1973), de Sydney Pollack, como homenagem ao falecido compositor Marvin Hamlisch.

Já a ideia de homenagear os musicais da última década, por ocasião do sucesso de OS MISERÁVEIS, pareceu um tanto precipitada, já que não houve de fato um retorno do gênero, mas apenas exemplos esparsos, que se contam na palma da mão. Mesmo assim, resolveram homenagear CHICAGO (com um número de Catherine Zeta-Jones), DREAMGIRLS – EM BUSCA DE UM SONHO (com uma Jennifer Hudson bem mais magra) e OS MISERÁVEIS (com todo o elenco, com direito à interpretação ridícula de Russell Crowe). Era tanta cantoria que a impressão que se tinha em determinado momento era de que OS MISERÁVEIS ia ser o grande vencedor da noite. De qualquer maneira, contudo, para uma cerimônia que dividiu os prêmios, até que três Oscars para o filme não foi ruim.

Os maiores vencedores foram ARGO, de Ben Affleck, com três prêmios, e AS AVENTURAS DE PI, de Ang Lee, com quatro prêmios. O primeiro vencendo melhor filme, conforme os prognósticos, anunciado com participação surpresa da Primeira Dama Michelle Obama em um telão; e o segundo vencendo surpreendentemente a categoria de direção, botando para escanteio o favoritismo de Steven Spielberg. A não indicação de Affleck acabou sendo uma das piadas da noite, com a Academia dando a cara a bater.

Um dos pontos baixos da festa foi o mestre de cerimônias Seth MacFarlane, cujas piadas e apresentações não funcionaram. Seu dueto com William Shatner chegou a ser constrangedor. E nem dá para atribuir culpa a Shatner, que apareceu como um Capitão Kirk vindo do futuro no telão, já que ele estava ali só para cumprir o roteiro um tanto bobo. E a brincadeira foi profética, já que de fato a performance do apresentador está entre as piores em muito tempo.

O que foi objeto de muita revolta por parte da comunidade cinéfila foi a premiação de Jennifer Lawrence como melhor atriz por O LADO BOM DA VIDA. Não exatamente pela atriz em si, mas pelo fato de não premiarem Emmanuelle Riva e seu excelente desempenho em AMOR. Lawrence, tão nervosa que estava, acabou tropeçando nas escadarias na hora de receber o prêmio. Mas o fato é que era uma categoria tão boa, com atrizes tão queridas, que qualquer uma que vencesse estava ok para mim. Se fosse eu, teria premiado Riva, claro, mas ficar procurando justiça no Oscar pode deixar muita gente estressada.

Uma das premiações mais felizes da noite foi a de Quentin Tarantino por roteiro original. Interessante o que ele falou sobre como as pessoas verão seus filmes no futuro: valorizando principalmente os personagens (e não os banhos de sangue exagerados e a violência). Quem acompanha a trajetória do cineasta sabe o quanto ele é um excelente criador de personagens. Ele lamentou o fato de Leonardo Di Caprio não estar presente também.

No mais, o único dos nove indicados a melhor filme que saiu com as mãos abanando foi INDOMÁVEL SONHADORA. A HORA MAIS ESCURA quase sai também, já que empatou com 007 – OPERAÇÃO SKYFALL na categoria de edição de som. Quanto à vitória de ARGO, com todas essas apresentações especiais, faz todo o sentido, já que o filme é principalmente uma celebração da vitória de Hollywood, mais do que um filme político. A política, representada principalmente por LINCOLN e A HORA MAIS ESCURA, acabou ficando em segundo plano.



Os vencedores da noite

Melhor Filme - ARGO
Direção – Ang Lee (AS AVENTURAS DE PI)
Ator – Daniel Day-Lewis (LINCOLN)
Atriz – Jennifer Lawrence (O LADO BOM DA VIDA)
Ator Coadjuvante – Christopher Waltz (DJANGO LIVRE)
Atriz Coadjuvante – Anne Hathaway (OS MISERÁVEIS)
Roteiro Original – DJANGO LIVRE
Roteiro Adaptado – ARGO
Fotografia – AS AVENTURAS DE PI
Montagem – ARGO
Trilha Sonora Original – AS AVENTURAS DE PI
Canção Original - "Skyfall", de 007 – OPERAÇÃO SKYFALL
Mixagem de Som – OS MISERÁVEIS
Edição de Som – 007 – OPERAÇÃO SKYFALL e A HORA MAIS ESCURA (empate)
Efeitos Visuais – AS AVENTURAS DE PI
Direção de Arte – LINCOLN
Figurino – ANNA KARENINA
Maquiagem e cabelos – OS MISERÁVEIS
Filme Estrangeiro – AMOR (Áustria)
Longa de Animação - VALENTE
Curta de Animação – PAPERMAN
Curta-metragem - CURFEW
Documentário – SEARCHING FOR SUGAR MAN
Curta Documentário – INOCENTE

Nenhum comentário: