segunda-feira, fevereiro 04, 2013

CAÇA AOS GÂNGSTERES (Gangster Squad)



Chega a ser triste quando vemos tanta gente boa junta e um resultado medíocre, vazio. E nem é por falta de boa vontade: o diretor Ruben Fleischer até quis fazer um trabalho grandioso, que honrasse os filmes de gângster da Warner, como os estrelados por James Cagney e Edward G. Robinson, principalmente os mais violentos, antes que o Código Hayes proibisse a carga de violência que esses filmes carregavam.

E violência é o que não falta em CAÇA AOS GÂNGSTERES (2013), mas acontece que Fleischer, do mesmo jeito que fez um filme de zumbi leve – ZUMBILÂNDIA (2009) -, fez também um filme violento em que a violência não parece ter efeito algum. O grafismo está lá, mas pouco importa. E, principalmente, pouco importam os personagens, por mais simpática que seja a gangue formada por Josh Brolin, Ryan Gosling, Robert Patrick, Anthony Mackie, Michael Peña e Giovanni Ribisi, com um chefe de polícia vivido por Nick Nolte. Ainda por cima, temos a gracinha da Emma Stone, como o interesse amoroso de Gosling e professora de etiqueta do personagem de Penn.

Mas acontece que Sean Penn não encontrou o tom certo e o seu sub-Tony Montana (personagem de SCARFACE, de Brian De Palma) é apenas a caricatura de um vilão. Desses vilões que logo se esquece, junto com o filme. Ver CAÇA AOS GÂNGSTERES é sair da sessão vazio. E nem se trata de estar esperando um novo OS INTOCÁVEIS ou um novo LOS ANGELES – CIDADE PROIBIDA, mas é possível, por exemplo, lembrar um caso recente de respeito: OS INFRATORES, de John Hillcoat, que tem um ponto de vista bem diferente, é verdade, mas que é exemplar na reconstituição histórica, na construção dos personagens e no impacto da violência.

Na trama, a Los Angeles do final dos anos 1940 é governada por um mafioso, Mickey Cohen (Penn). Os policiais são todos comprados por esse homem. Até surgir um grupo de policiais comandado principalmente pelo personagem de Brolin, que tem a coragem de encarar o perigoso gângster, não importando as consequências. O personagem de Brolin, inclusive, tem uma esposa que sabe dos perigos que ele corre (Mireille Enos, conhecida de quem acompanha a série THE KILLING). É uma velha história do bem contra o mal, sem tons de cinza. Nada contra, mas o filme de Fleisher não tem estilo nem charme.

CAÇA AOS GÂNGSTERES vai ficar mais conhecido como o filme que foi censurado por causa de um fator externo: o seu trailer, que antes contava com uma cena dos gângsteres atirando em pessoas em uma sala de cinema. Trailer esse que foi parar junto à cópia de BATMAN – O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE, em sessão de pré-estreia na cidade de Denver, no Colorado. A sessão foi manchada por um maníaco fantasiado de Coringa que matou várias pessoas. Resultado: a cena foi cortada e o filme foi adiado para este ano. Não perdemos muito por esperar.

P.S.: Pela terceira vez eu tive um aborrecimento ao ver um filme na sala 12 do Multiplex Iguatemi. Reclamei pela terceira vez, mas o projecionista disse que estava normal. Pra mim, aquela imagem escura não é normal, principalmente para uma cópia em 35 mm. Pode ser normal para um padrão ruim de qualidade, mas as outras salas não estão assim. Fico na dúvida se desisto da sala 12 para evitar novos aborrecimentos ou se reclamo mais uma vez, caso o problema não tenha sido solucionado.

Nenhum comentário: