segunda-feira, abril 25, 2005

MICHAEL WINNER EM DOIS FILMES



Michael Winner não é um cineasta muito respeitado por suas qualidades de diretor de filmes. Até porque não é mesmo um grande realizador. Ele hoje é mais conhecido por suas parcerias com Charles Bronson, sendo a cine-série DESEJO DE MATAR seu título mais famoso. Por causa dessa série e de outros filmes ele é considerado um cineasta de ultra-direita ou fascista. Mas isso em vez de me afastar dos filmes, ao contrário, me deixa mais curioso para vê-los. É divertido ver nos filmes esse negócio de "bandido bom é bandido morto". Abaixo, comentários rápidos sobre dois filmes do homem, sendo que um deles é um filme de horror.

JOGO SUJO (The Stone Killer)

Acho que o principal problema desse filme é a falta de um maior controle no desenvolvimento da trama, que vai ficando complicada e mal amarrada. Winner, parece que não funciona trabalhando com histórias mais complexas. JOGO SUJO (1973) foi feito um ano antes de DESEJO DE MATAR (1974), que é muito superior talvez por ter justamente uma história bem mais simples. Em JOGO SUJO, Charles Bronson é um tira linha-dura (como sempre) que é transferido para Los Angeles e se vê às voltas com uma trama envolvendo a máfia siciliana e ex-combatentes de guerra do Vietnã. Uma das cenas mais interessantes do filme é uma que mostra Bronson no meio de uma celebração hippie, enquanto investiga o caso. O cara, mesmo nos anos 70, já era totalmente retrógrado e reacionário. Winner pinta os hippies como um bando de palhaços. O filme não é bom, mas podem mandar mais Charles Bronson dos anos 70, que eu vejo com prazer. Gravado da Globo.

A SENTINELA DOS MALDITOS (The Sentinel)

Outro filme com trama mais complexa que Winner complica. Mas, por se tratar de um filme de terror, não é necessário uma história bem explicada ou amarrada. Tive vontade de ver A SENTINELA DOS MALDITOS (1977), desde que vi o filme como destaque nos lançamentos de vídeo da saudosa revista Cine Monstro. Se eu não em engano, o texto sobre o filme era de autoria do nosso amigo Leandro Caraça e me deixou bastante curioso pra conferí-lo. Tanto que acabei comprando o DVD da Works, numa promoção, junto com o DVD de SUSPIRIA, de Dario Argento. O ponto de partida do filme é bem interessante: uma jovem modelo (Chris Raines) se muda para um apartamento num prédio onde mora apenas um padre cego que fica sempre na janela "olhando" para o tempo. Ela depois começa a ter desmaios e problemas para dormir, além de recordar de alguns traumas do seu passado, como da vez em que tentara o suicídio. A coisa começa a ficar assustadora quando ela conhece seus estranhos vizinhos e vai reclamar do barulho que eles fazem à noite para a corretora do imóvel (Ava Gardner, que outrora foi chamada de "o animal mais belo do mundo"), que lhe diz que não existe vizinho nenhuma além do padre. A cena mais assustadora acontece quando o espírito do pai dela aparece de noite, andando pela casa. Mas depois o filme despenca quando o namorado da moça (Chris Sarandon) passa a investigar os incidentes. Ainda assim, há que se destacar o final, um verdadeiro festival de bizarrices. A SENTINELA DOS MALDITOS ficou famoso na época por ter um elenco de astros bem conhecidos, como John Carradine, José Ferrer, Burgess Meredith, Eli Wallach, além de pontas de futuros astros como Christopher Walken, Beverly D'Angelo, Tom Berenger e Jeff Goldblum, além dos protagonistas já citados. O DVD nacional traz o filme em tela cheia, mas a imagem está ok.

Nenhum comentário: