quinta-feira, abril 17, 2003

AMOR À SEGUNDA VISTA (Two Weeks Notice)



O expediente na empresa acabou mais cedo - véspera de feriado - e aí não resisti a um cineminha esperto antes de vir pra casa. O filme que eu escolhi - AMOR À SEGUNDA VISTA - foi mais pelo horário e pela distância da sala do que propriamente porque este era "o" filme que eu queria ver. Tinha esnobado esse filme, que já tá há um tempão em cartaz.

Não sei porque esnobamos tanto as comédias. Repararam que tirando as comédias clássicas de Charles Chaplin, Billy Wilder, irmãos Marx etc quase a crítica e os cinéfilos pouco se lembram de comédias em listas de filmes mais importantes? Até mesmo Howard Hawks é mais respeitado pelos filmes de gângster e westerns do que por suas comédias. Dos anos 80 pra cá, alguns atores se especializaram em comédias - e com bom resultado. Nesse caso, me refiro às "comédias românticas", sub-gênero meio bobinho, mas que às vezes é irresistível. Eu mesmo tenho uma comédia romântica entre os meus cinco filmes favoritos de todos os tempos. Nem preciso dizer qual é o filme.

AMOR À SEGUNDA VISTA traz dois dos melhores atores desse gênero. Hugh Grant está cada dia melhor. No ano passado ele protagonizou o delicioso UM GRANDE GAROTO, um dos melhores filmes do ano. Fora isso, o cara já fez um monte de comédias acima da média: QUATRO CASAMENTOS E UM FUNERAL, NOTTING HILL, TRAPACEIROS, O DIÁRIO DE BRIDGET JONES, NOVE MESES. Sandra Bullock, ainda que não desfrute da mesma qualidade de filmes, tem uma marca registrada, e acabou se tornando uma atriz do gênero com o belo ENQUANTO VOCÊ DORMIA, até agora o melhor filme que ela já fez. Os outros (MISS SIMPATIA, FORÇAS DO DESTINO) não são lá grande coisa.

O filme é até legal. Quer dizer, tem um monte de clichês, o final é previsível, Miss Bullock está repetindo os papéis anteriores, e por aí vai. Mas ainda assim, saí do cinema com um sorriso no rosto, mesmo sabendo que o efeito dura pouco. A história: Sandra Bullock é uma advogada "do bem", sempre defendendo os interesses dos mais necessitados e apoiando causas ecológicas e tal. Hugh Grant é o empresário que divide com o irmão a liderança de uma grande empresa imobiliária. Os dois se encontram, ela passa a trabalhar pra ele, e o resto todo mundo já sabe. É o tipo do filme pra ir ver sem esperar muita coisa, mas as risadas estão garantidas e dá pra alimentar um pouco aquele nosso lado que quer mesmo é estar com a menina da sua preferência tomando sorvete e andando de mãos dadas, depois do cineminha.

Nenhum comentário: