segunda-feira, julho 30, 2007

JERI 2007



Como estou de férias, nada como mais um post de viagem para a despedida desse agradável período de descanso. Dessa vez fui para Jericoacoara. Acho que foi a quarta ou a quinta vez que eu pisei nas terras jericoacoarenses (existe essa palavra?) e como sempre a viagem é memorável. Antes que eu me esqueça, quero agradecer à Valéria pelo convite. A Valéria tem um talento especial para organizar eventos e espero que ela continue contribuindo para o bem estar da humanidade com seus dons.

Com a desistência de alguns membros, o número de pessoas que toparam ir para Jeri ficou em dez, o que eu acho até bom, pois eu fico mais à vontade tendo poucas pessoas no grupo. Sem falar que fica bem mais fácil de se administrar as coisas. Como sempre, essa turma que eu já conheço há alguns anos tem me dado o prazer de sua companhia e de seus papos sempre inteligentes e divertidos. A Valéria, o Igor, o Murilo, a Érika e a Elis, eu já conheço há uns seis, sete anos e com o tempo a gente vai ficando cada vez mais amigo, embora eu não tenha me encontrado com eles com muita freqüência. Mesmo assim, acho que já se estabeleceu um belo elo de amizade. O Leonardo, o Rodrigo e a Marina, eu só conheci agora, nessa viagem, e espero encontrá-los mais vezes. Completa o grupo, Marlon, filho da Érika, um rapaz muito gente fina. Acho que ele curtiu a viagem também.

A boa companhia é o fundamental para o sucesso de uma viagem a passeio, mas Jeri ainda contribui com suas belezas naturais e com aquele pôr-do-sol espetacular. Eu, sinceramente, duvido que vá ver outro mais belo no mundo. Tão belo que assim que o sol desaparece da linha do horizonte, todas as pessoas presentes na grande duna aplaudem. Difícil não sentir um arrepio de emoção nessa hora. Acho que nesse momento, todos que estão ali sentem um pouco de gratidão por estarem contemplando algo tão bonito. Pra completar, enquanto o sol desaparecia, a lua cheia aparecia no outro lado.

Dessa vez, conhecemos a Lagoa do Paraíso, que por ser um pouco distante de Jeri, a gente sempre deixava pra outra oportunidade. A lagoa fica no município de Jijoca e chegamos lá no pau-de-arara. É uma viagem cansativa, principalmente pra quem fica sentado na parte de trás da caminhonete, mas vale a pena. Mas cansativo mesmo é a volta a pé pelo Serrote, depois de passarmos pela Pedra Furada, o principal cartão postal de Jeri e uma área de preservação ambiental, onde é proibido entrar de carro.

No mais, revi VIOLAÇÃO DE CONDUTA no Supercine - mais uma vez para não entender a trama complicada -, tomei novamente aquele sorvete especial da sorveteria que fica em frente ao Planeta Jeri, assisti os últimos jogos do time de vôlei masculino no Pan, saboreei o crepe numa lanchonete em frente ao mar e conversamos muito. Só não saí muito à noite, já que eu estou mais velhinho, sem muita animação para dançar, beber e azarar. Felizmente não fui o único da turma nessa condição. ;-) Da turma, as únicas pessoas que foram para a rave foram a Elis e a Marina. Espero que tenham curtido.

Quem quiser ver mais fotos da viagem, fiz uma seleção das melhores e postei aqui. Amanhã voltaremos com nossa programação normal.

Nenhum comentário: